Foto: assessoria
Foto: assessoria

O saldo do mutirão de limpeza que reuniu por volta de 400 voluntários – representantes de mais de 30 agremiações, entre empresas, universidades, departamentos públicos e clubes de serviços – foi a retirada de 300 toneladas de lixo do córrego Arareau, que foram levados diretos até o lixão da Mata Grande. A ação, que ocorreu no sábado (4), atingiu o trecho da ponte da Rua José Barriga até o encontro do Arareau com o Rio Vermelho, na região do Cais.

O secretário Municipal de Meio Ambiente, Lindomar Alves, contou que o trabalho, que durou toda a manhã, lotou quase quinze caçambas com lixo, a maioria domésticos. “Achamos de tudo, desde brinquedos, fogão, sofá velho, pneus, móveis de todo tipo, além de muitos vasilhames pets e outros materiais visivelmente descartados por moradores, embora seja possível que uma menor parcela seja de empresas”, comentou.

Leia também:  Hospital Santa Casa deve receber atrasados nesta quarta (1), diz vereadores

limpeza arareauO planejamento do mutirão previu a definição de nove trechos de limpeza. Em cada um deles, um barqueiro da Colônia de Pescadores Z3 recolhia os materiais que estivessem no leito do rio e os levava até as margens, onde as equipes de coleta estavam posicionadas. No mesmo horário, na Rua Fernando Corrêa da Costa, universitários e alunos da rede estadual fiziam um pit stop, alertando sobre o bom uso da água e o respeito ao meio ambiente.

Ivaldi Nascimento participou da ação pela Tec Rio, uma associação de amigos que tem como principal atividade a pesca esportiva. Para ele, falta sensibilidade a quem joga lixo no Arareau ou em qualquer manancial. “Eu moro há 30 anos em Rondonópolis e o Arareau já foi fonte de alimento, de lazer e é um patrimônio de nossa cidade. O cidadão que joga o seu lixo em um local como este não precisa ser conscientizado, ele precisa é ter a sensibilidade de enxergar o mal que está cometendo contra a si mesmo”, analisou Nascimento.

Leia também:  Brinquedos e roupas estão em alta na lista de presentes para o Dia das Crianças

Prefeito quer continuidade

O prefeito Percival Muniz participou da solenidade de abertura do mutirão, que ocorreu no Parque das Águas, ao lado de várias autoridades, e disse que o “O Rio é Nosso” deve ser encarado como apenas uma das muitas ações que o Poder Público deve fazer em prol do meio ambiente, ao lado de parceiros e principalmente da sociedade em geral.

“Estamos, por meio da Secretaria de Habitação e Urbanismo, retirando ribeirinhos e os levando para novos residenciais. A proposta é revitalizarmos as margens dos nossos córregos e rios para consertar a formação habitacional equivocada do passado. Paralelo a isso, temos que ter uma fiscalização ativa para punirmos os agressores e, neste caso, a população tem uma importância muito grande, porque pode tirar uma foto, filmar ou mesmo ligar para a equipe de fiscalização para denunciar quem comete este ato, de preferência no momento para ser dado o flagrante”, afirmou Percival.

Leia também:  Serviços essenciais vão ser mantidos no feriado da Proclamação da República

O contato plantonista para denúncias da Semma é o (66) 9231-0174.

Grupos de Trabalho

Participaram do mutirão de limpeza “O Rio é Nosso”: Prefeitura Municipal, Ministério Público Estadual, Juizado Volante Ambiental, Defesa Civil Municipal, Rotary, Unic, Coder, Procon, Sanear, UFMT, Setrat, Nilsão Caçambas, Ideal Locações, Loca tudo, Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Polícia Militar, Cervejaria Petrópolis, América reciclagem Coopercicla, Centro-Oeste Ambiental, Bio Resíduos Ambiental, Ong Arareau, ARPA, Cantinho de proteção animal, Colônia Z3, Tec rio, Proeam, Sema, Jr Achievment e Climar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.