A briga dentro do diretório regional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), vai fazer mais “vitimas” no Estado, desta vez é o diretório municipal de Rondonópolis, que nem mais comissão provisória instituída tem e o que era apenas uma questão burocrática agora avança para uma crise maior, já que o vereador Aristóteles Cadidé (PDT), vai deixar a sigla para acompanhar o governador Pedro Taques (PDT) no seu novo partido.

Cadidé é o principal vereador do partido na interlocução com o governador Pedro Taques, que deve deixar a sigla, ainda esta semana. No PDT, Taques, se elegeu senador e governador e por causa de divergências, tanto regionais com nacionais, irá procurar novos caminhos, “Fui coordenador de campanha do governador na região sul, devo fidelidade à ele por isso, estou deixando a sigla junto e vamos continuar trabalhando para transformar Mato Grosso”, afirmou Cadidé.

Leia também:  "Distritão" não passa e regra para eleições de deputados devem ser mantidas

O vereador ainda afirmou a reportagem que o PDT rondonopolitano está praticamente desmontado, “Não existe mais diretório municipal e nem mesmo uma comissão provisória, o que impede o aparecimento de novas lideranças e o crescimento do partido na cidade”. Na visão de Cadidé todo o desgaste da briga interna na direção regional só prejudicou os filiados e os companheiros que acreditavam no crescimento do PDT em todo o Estado.

Ao confirmar que irá acompanhar Taques, em sua nova sigla, Cadidé assume uma posição privilegiada junto ao governador e pode se tornar um grande interlocutor da região sul com o chefe do executivo estadual.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.