Um novo estudo revelou que mulheres que consomem café durante a gravidez podem aumentar o risco de seus filhos desenvolverem leucemia durante a infância.

Os acadêmicos dizem que o governo deveria emitir alertas para as mulheres grávidas, para limitar sua ingestão de café do mesmo modo como são instruídas a cortar o álcool e parar de fumar. Eles acham que a cafeína pode alterar o DNA das células dos fetos, tornando-os mais suscetíveis ao desenvolvimento de tumores.

Os pesquisadores que analisaram mais de 20 estudos anteriores descobriram que os bebês de mulheres que bebiam café durante a gravidez eram 20% mais propensos a desenvolver leucemia. Porém, se elas bebiam mais de duas xícaras por dia, o risco subiu para 60%. E as mulheres que consumiram quatro ou mais xícaras por dia, elevaram esse número para 72%. O novo estudo foi publicado no American Journal of Obstetrics and Gynaecology.

Leia também:  Efeito do álcool no organismo

Cerca de 500 crianças são diagnosticadas com leucemia no Reino Unido a cada ano e é, de longe, o tipo de câncer mais comum na infância. Felizmente, se detectada a tempo, a doença pode ser tratada com doses de quimioterapia, e a taxa de sobrevivência dessas crianças está em torno de 80%.

O estudo conclui: “Os resultados sugerem que o consumo de café durante a gravidez pode aumentar o risco de leucemia infantil”.

Por causa de estudos limitados, novas pesquisas são urgentemente necessárias para explorar os efeitos adversos do consumo de café na leucemia infantil.

Denis Henshaw, Professor emérito de efeitos de radiação em humanos, da Universidade de Bristol, que não esteve envolvido na pesquisa, mas é um especialista na área, disse: “Eu não acho que as mulheres devem parar por completo com o café durante a gravidez, mas como medida de precaução, deverão limitar sua ingestão”.

Leia também:  Café na dose certa para preservar a sua saúde

“Poderia ser para menos de duas xícaras por dia ou apenas ocasionalmente”, sugeriu ele. “Os resultados de que apenas duas xícaras de café por dia aumente esse risco em 60% é muito surpreendente”, disse ele. Denis ainda acrescentou que a incidência de leucemia infantil tem aumentado nas últimas décadas.

O professor sugere que essas mudanças à curto prazo podem indicar que um fato ambiental esteja envolvido, tais como linhas de energia, campos magnéticos e poluição. “Beber café tornou-se popular, com lojas de cafeterias bem conhecidas e em expansão, por isso o consumo de café se tornou muito popular no Reino Unido”.

O NHS (National Health Service) aconselha mulheres grávidas a consumirem apenas 200mg de cafeína por dia, o equivalente a uma xícara e meia de café de filtro ou duas xícaras de café solúvel. Mas este conselho não é enfático, pois digo às mulheres para não se preocuparem caso venham a se exceder essa quantidade, pois os riscos são pequenos.

Leia também:  Fumaça do narguilé prejudica garganta, traqueia e pulmão

Andrew Percy, do Commons Health Select Comittee disse: “Este é um estudo interessante que requer uma investigação mais aprofundada”.

“Em caso de resultados conclusivos que mostram uma associação entre beber café durante a gravidez e a leucemia, então faz sentido que a orientação seja emitida às mulheres, para que possam fazer uma escolha bem informada sobre a possibilidade de tomar café quando estiverem grávidas”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.