Depois de ser agarrada por Gabo (Henri Castelli), Mari (Bruna Marquezine) volta para casa com nojo do que acabou de lhe acontecer. Enquanto toma banho, a morena tenta se limpar do toque do padrasto de Ben (Maurício Destri), esfregando o corpo com força e relembrando o momento.

Sem Mari perceber, Danda (Tatá Werneck) entra no banheiro e nota que há algo errado com a irmã: “Que bicho te mordeu, Marizete?”.

A ex-segurança se assusta com Danda, sai do chuveiro e conta o que lhe aconteceu. Indignada, a personal stylist diz que é assédio e que isso não pode ficar assim.

O que será que Mari vai fazer contra Gabo? Não perca esta cena que vai ao ar nesta segunda-feira, dia 27 de julho.O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, criou nesta semana uma comissão especial para analisar propostas relacionadas à reforma tributária. De acordo com o ato da Presidência publicado no Diário da Câmara desta quinta-feira (24) a nova comissão terá 27 titulares e mesmo número de suplentes.

Leia também:  Projeto da maior prova de atletismo da região é apresentado na Câmara

A comissão terá 30 dias para concluir os trabalhos, que devem começar no início de agosto, quando os deputados voltam à Câmara.

Na terça-feira (21), Cunha afirmou que a reforma tributária, para solucionar os problemas de divisão de recursos entre União, estados, Distrito Federal e municípios, será uma das prioridades da Câmara no segundo semestre. A votação seria uma consequência da conclusão dos debates sobre as propostas do pacto federativo, também analisado por uma comissão especial.

Reforma parada
Em 2008, uma comissão especial da Câmara aprovou substitutivo do ex-deputado Sandro Mabel a 17 propostas sobre reforma tributária (PEC 31/07 e apensadas) em tramitação na Casa.

Entre os principais pontos do texto aprovado, estão a unificação das 27 leis estaduais do ICMS e a criação do Imposto sobre Valor Adicionado Federal (IVA-F) – a partir da fusão do PIS/Pasep, da Cofins e da contribuição do salário-educação.

Leia também:  Caso Tríplex | Juiz Sergio Moro condena Lula a mais de 9 anos de prisão

A matéria é polêmica e está parada na Câmara há seis anos.

Reforma fatiada
O Congresso tem feito, desde então, uma reforma tributária fatiada, já que há dificuldade em conseguir consenso para uma ampla mudança nas regras de tributação do País.

Uma das mudanças aprovadas nesse sentido foi a Lei Complementar 147/14, que universaliza o acesso do setor de serviços ao Simples Nacional (Supersimples), o regime de tributação das micro e pequenas empresas.

ICMS
O governo encaminhou um pacote de medidas para reformar o ICMS, entre elas uma proposta (PLS 375/15) que cria uma política de desenvolvimento regional e uma medida provisória (MP 683/15) cria dois fundos para compensar estados por perdas com a unificação do ICMS, a partir de uma mesma alíquota para todo o País.

Leia também:  Jovem é detido por envolvimento com tráfico de drogas em Rondonópolis

Em outra linha, o governo ainda deve enviar ao Congresso proposta que unifica o PIS e a Cofins, a fim de ajudar a equilibrar a economia brasileira.

Recorrência
A necessidade de uma reforma tributária é um tema recorrente nos debates do Congresso. No início do ano, líderes do governo e da oposição defenderam a discussão da reforma tributária como um dos principais temas do Legislativo.

A divisão do bolo tributário também foi foco nas campanhas eleitorais do ano passado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.