Foto: assessoria
Foto: assessoria

Cerca de 30 agricultores da região ouviram atentos às recomendações passadas pelo Professor Doutor da Universidade de Passo Fundo, Mauro Rizzardi, durante o treinamento Manejo de Resistência de Plantas Daninhas & 2,4-D realizado ontem, no Comfort Hotel & Suites, em Rondonópolis (MT).

O produtor rural Winicius Menegaz, que acompanhou o evento, afirmou que o conteúdo trará impactos positivos no controle de plantas daninhas em sua propriedade. “A principal mensagem que recebemos foi a necessidade de analisar as decisões que tomamos na agricultura de forma preventiva. Nós estamos acostumados a buscar soluções para os problemas do presente, mas hoje fomos alertados que é uma forma equivocada de agir. O produtor brasileiro sempre atua para apagar o fogo. É hora de evitar que o fogo aconteça. A partir de agora minhas decisões sempre levarão em consideração as consequências futuras para a propriedade”, diz.

Leia também:  Vendas de materiais de construção registraram alta de 6%

Mauro Rizzardi abordou informações sobre o manejo de resistência de plantas daninhas, o papel dos herbicidas e das boas práticas agrícolas no combate deste problema, além de apresentar aspectos técnicos do 2,4-D, como suas características físico-químicas, situação regulatória, estudos de toxicidade, ecotoxicidade e segurança no campo. “A perda de produtividade devido à presença de plantas daninhas que não são controladas pode chegar a 40%. Com o controle incorreto, varia entre 5 e 10%. Uma planta de Buva por m² reduz em até 12% a produtividade – ou seja, 6 sacos por hectare, o que equivale a uma perda de 360 reais”, explica Rizzardi.
O evento foi realizado pela Iniciativa 2,4-D, grupo formado pelas empresas Adama, Atanor, Dow AgroSciences e Nufarm para gerar informação técnica sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, e faz parte do projeto que ministrará mais de 60 cursos sobre Manejo de Resistência de Plantas Daninhas & 2,4-D em parceria com entidades como a Universidade de Passo Fundo (UPF), Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). O programa passa por mais de 65 cidades nas cinco macrorregiões do Brasil, de maio a novembro de 2015.

Leia também:  Dia dos Pais | Rondonopolitano deve gastar entre R$ 50 e R$ 100 com presente

Sobre a Iniciativa 2,4-D
A Iniciativa 2,4-D é um grupo formado por representantes das empresas Adama, Atanor, Dow AgroSciences e Nufarm, que, com apoio acadêmico, tem como propósito gerar informação técnica sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, além de apoiar projetos que abordem esta questão, como o Projeto “Acerte o Alvo – evite a deriva na aplicação de agrotóxicos”, realizado no Paraná. O foco é educar o produtor sobre a importância da utilização correta de tecnologias que garantam a qualidade da aplicação dos defensivos agrícolas. O grupo defende que o uso adequado das tecnologias de aplicação e a precaução para evitar a deriva são essenciais para garantir a eficácia e a segurança ambiental na utilização de defensivos agrícolas. A Iniciativa 2,4-D se apresenta como fonte de informação e esclarecimento, que, apoiada por estudos acadêmicos, visa desmistificar o emprego do 2,4-D.

Leia também:  Rondonopolitanos devem pagar até R$ 100 no gás de cozinha
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.