O histórico Partido Popular Socialista (PPS) pode estar com dias contados em Mato Grosso, tudo porque o vice-governador Carlos Fávaro (PP) está disposto a ressuscitar o Partido Liberal (PL).

Com apetite voraz e muito apoio, Fávaro, já teria conseguido as mais de cinco mil assinaturas necessárias para a criação do partido em Mato Grosso, e mais, estaria levando o senador José Medeiros e o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Eduardo Moura, ambos no PPS, para a “nova” sigla.

Segundo fonte da Coluna Bastidores, até o Ministro da Cidades, Gilberto Kassab (PSD), estaria “costurando” com lideranças para que o PL ganhe força no Brasil e em Mato Grosso, tendo inclusive, conversado pessoalmente com Medeiros sobre o assunto, e assim ampliar a base de sustentação do Governo Federal no Congresso Nacional.

Leia também:  Blairo reage à delação de Silval

O fato é que a possibilidade da saída de José Medeiros e de Eduardo Moura do PPS, já acendeu a luz vermelha para alguns “líderes” históricos do partido, que sempre viveram escorados nessa força política. É o caso do professor Máximo, que divulgou um comentário em um site cuiabano atacando Medeiros e a possibilidade da sua saída.

Máximo não tem medo propriamente da saída de Medeiros ou Moura, mas sim, que a debandada das parcas forças políticas do PPS e assim o prefeito Percival Muniz (PPS) aproveite o embalo e também deixe a sigla, como a muito se especula, e caia de vez nos braços do PMDB, decretando a morte do PPS em Mato Grosso.

Como diziam os mais antigos e famintos, de comida e poder, “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Leia também:  Metralhadora giratória
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.