Depois de quase um ano fechado, o Parque Estadual Serra Azul será gradativamente reaberto pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Na segunda-feira (10.08), o governador Pedro Taques estará em Barra do Garças (a 508 km de Cuiabá) para assinar o protocolo de intenções com Prefeitura Municipal.

Também devem assinar o documento representante da Câmara de Vereadores; o presidente da Comissão de Indústria, Comércio e Turismo da Assembleia Legislativa, deputado estadual Max Russi; a gerente do parque, Cristiane Schnepfleitner; e o promotor da comarca, Marcos Brant, que atuará como mediador das ações que serão realizadas por todos os atores envolvidos nos próximos meses.

Conforme o coordenador de Unidades de Conservação da Sema, Alexandre Batistella, uma das primeiras ações será a reabertura da rampa de salto de voo livre, que deverá ocorrer em até dois meses, beneficiando os praticantes do esporte. As demais medidas propostas pelo protocolo ainda não têm data prevista, mas algumas delas já foram realizadas, como a nomeação de um analista de meio ambiente para o cargo de gerente regional do parque e a reativação do conselho consultivo, que teve sua primeira reunião no dia 28 de julho. “Várias reuniões foram realizadas no final de julho para viabilizar parcerias locais que propiciem a reabertura dos atrativos turísticos do parque.”

Leia também:  Musa de Cáceres é a nova Miss Mato Grosso 2017

Entre as prioridades do plano de trabalho que o governador assinará estão: reforma e ampliação da guarita principal do parque; elaboração de projetos e execução da adequação da estrada até o mirante do Cristo, do ordenamento do mirante e do centro de visitantes, com compra de equipamentos para sua operacionalização; e da adequação da trilha das cachoeiras. Também são fundamentais a desapropriação do Clube da Maçonaria (que será aberto à população); contratação de empresa especializada para estudo de viabilidade de concessão dos atrativos turísticos; contratação de no mínimo três monitores/guardas de parques e de uma brigada para prevenção e combate a incêndios florestais; e aquisição de um veículo 4×4.

Batistella explicou que o parque foi fechado entre o fim de agosto e início de setembro de 2014 em razão de uma ação recomendatória do Ministério Público do Estado (MPE), depois que um incêndio queimou 80% da cobertura vegetal da área. Na época, entendeu-se que a Sema não tinha condições de manter a conservação do parque para uso público, nem para proteção da biodiversidade. Não estava em funcionamento o conselho consultivo, bem como o plano de manejo para o local não estava implantado.

Leia também:  Grupo de dança típica de Cuiabá vence título mundial na Turquia

Segundo a secretária de Estado de Meio Ambiente, Ana Luiza Peterlini, o plano de trabalho começou a partir de uma relação proativa da Sema junto ao Ministério Público da região, que vem disponibilizando recursos provenientes de compensação de multas para promover ações importantes, como: recuperação da cerca e do portão para o mirante, projeto de reforma da guarita principal e execução do projeto, além da contratação de brigada. “Essa sem dúvida é uma prioridade da atual gestão que estamos conseguindo realizar com apoio da comunidade local. Vai ser gradativo para manter a segurança aos usuários e também manter a proteção ambiental adequada”, esclareceu.

Sobre o parque

Trata-se de uma unidade de conservação criada a partir da Lei nº 6.439, de 31 de maio de 1994. O Parque Estadual da Serra Azul (Pesa) possuiu 11 mil hectares, fica no município de Barra do Garças e tem a vegetação de Cerrado. Ao todo, Mato Grosso possui 46 unidades de conservação.

Leia também:  Projetos de ressocialização em presídios de MT são selecionados ao Prêmio Innovare
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.