A eleição para presidente de bairro do Tancredo Neves/Rui Barbosa, em Rondonópolis, realizada neste domingo (02), pode parar na justiça. A chapa derrotada (Chapa 2), acredita que a eleição tenha sido fraudada e por isso irão entregar um pedido de impugnação na Unisal. Além disso, componentes da Chapa 2 pretendem levar o caso ao Ministério Público Estadual (MP).

Em entrevista ao Site AGORA MT, ambos os lados trocaram farpas e acusações.

Luizmar Lopes fala sobre suposta fraude na eleição - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Luizmar Lopes fala sobre suposta fraude na eleição – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

De acordo com o candidato derrotado, Luizmar Lopes dos Santos (foto ao lado), moradores de outros bairros, inclusive de cidades vizinhas, compareceram na escola Tancredo Neves a ‘pedido’ de alguém para votar.

“Meus fiscais fotografaram uma van durante todo o dia fazendo o transporte de pessoas que não eram do bairro, nem conhecidos”, afirmou ele citando que a van e os eleitores teriam sido contratados pela outra chapa ou apoiadores.

Leia também:  Fuga em massa na Mata Grande, muro é explodido e 32 fogem

Luizmar explica que a associação não tem o cadastro dos moradores e que por isso, assinou ata aceitando a não obrigatoriedade da apresentação de comprovante de endereço, entretanto, ele reforça que não aceitou a vinda de moradores de outras localidades.

“Isso que fizeram foi sacanagem pois ele tinha o apoio do Jaime Araújo, presidente do Conseg. Fraudaram a eleição e tiraram o direito dos moradores de escolher seu representante, bem como o meu sonho de ser presidente de bairro”, acusou ele.

A Chapa 1, liderada por Genival Meireles obteve 386 votos contra a Chapa 2 que somou 244, uma diferença de 142, que segundo Luizmar aconteceu devido o transporte destas pessoas. No total foram registrados 630 votos.

Além de levar o caso para o MP e para a Unisal, Luizmar também deve comunicar a Associação de Moradores de Bairro de Rondonópolis (Uramb). Ele afirma que irá pedir cópia da ata da eleição.

Leia também:  Nova sinalização alerta sobre limite de altura dos veículos
Genival Meireles fala sobre eleição - Foto: Arquivo AGORA MT
Genival Meireles fala sobre eleição – Foto: Arquivo AGORA MT

Por outro lado, Genival Meireles (foto ao lado), presidente da chapa vencedora afirmou que nada do que foi dito por Luizmar é verídico e citou que o candidato derrotado não teve postura.

“Esse homem é uma pessoa descontrolada. Ele estava ‘cantando’ vitória disse que a palavra derrota não constava no dicionário dele. Além disso, ele levou pessoas de outros bairros para votar e estava distribuindo bebidas para moradores que votassem nele”, denunciou Genival.

Ainda de acordo com Genival, ao ver que tinha perdido, Luizmar se recusou a assinar a ata. Além disso, parte da equipe dele desferiu palavras de baixo calão para seus aliados

UNISAL

Segundo o presidente da Comissão Eleitoral da Unisal e presidente da Mesa de Votação no dia em questão, Jaime Araújo, se houve ou não fraude, a Unisal não é responsável.

Leia também:  Contribuintes podem continuar negociação de dívidas até 20 de dezembro

“Sentei com os presidentes e sugeri que por não haver cadastro de moradores, cada candidato colocasse três pessoas de sua confiança como fiscal, pois quem é do bairro consegue verificar quem é ou não da região”, disse.

Jaime negou ter tido um lado, uma vez que para ocupar seus cargos ele precisa ser imparcial, entretanto, Jaime afirmou que no período que esteve como mesário, negou o voto a quatro pessoas por perceber que as mesmas não eram da região. Agora ele aguarda um pedido formal de Luizmar devido as denúncias.

 

 

.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.