Foto: assessoria
Foto: assessoria

Nesta quarta-feira (12.08), último dia da Vitrine Agropec, um painel reuniu deputados federais da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e representantes das entidades do setor, como Famato, Aprosoja e Aprosmat, para debater soluções para o agronegócio enfrentar o momento de instabilidade econômica e política. Além disso, os deputados expuseram sobre os principais temas que estão sendo discutidos pela Frente no Congresso Nacional.

O presidente do Sindicato Rural de Rondonópolis, Francisco de Castro, abriu as discussões dizendo que é hora de debater a agricultura e a pecuária, ouvir respostas e se preparar para o futuro. “Ninguém melhor para nos das as respostas do que acontece no Congresso, que os deputados da FPA. Por isso a Agropec abriu este espaço para trazer aos produtores soluções de como o a agropecuária pode continuar crescendo mesmo em momentos de economia instável”, pontuou Castro.

Leia também:  Coder vira pedra no sapato de Pátio na Câmara de Vereadores

Segundo o presidente da FPA, Marcos Montes (PSD-MG), os equívocos nas políticas de governo nos últimos anos se refletem agora. “O momento é de crise, mas há saída, mas para isso é preciso desenvolver políticas públicas estratégicas. Outras crises virão e precisamos fortalecer ainda mais a agropecuária brasileira para garantir que a economia não pare”.

O deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), afirmou que o Brasil está parado hoje por conta da corrupção. “O país dá certo em diversos setores, entre eles a agropecuária. Mas o que emperra é a corrupção alastrante. É possível transformarmo-nos em um país de primeiro mundo com trabalho e transparência”.

Foto: assessoria
Foto: assessoria

Uma das questões que mais afetam o setor produtivo brasileiro é a alta carga tributária embutida nos insumos necessários para a produção. Questionado sobre discussões do Governo Federal para um possível aumento dos impostos na agropecuária, o deputado federal Adilton Sachetti (PSB-MT), foi enfático ao dizer que o setor não suportaria mais uma tributação. “Para produzir, o produtor precisa pagar altíssimos tributos embutidos nos insumos, que acabam abocanhando boa parte da renda das lavouras. Caso mais impostos sejam inseridos, o setor para e consequentemente, a economia como um todo”.

Leia também:  Projeto que reduz salários de comissionados gera polêmica em Itiquira

O deputado Nilson Leitão destacou o trabalho da FPA ao levar para o Congresso Federal discussões não debatidas pelos parlamentares. “Temos como exemplo a questão das demarcações de terras indígenas e o Código Floresta, que impactam não só no trabalho dos produtores rurais, mas que fazem a diferença para todo o Brasil”.

O painel contou ainda com a participação do presidente da Aprosoja, Ricardo Tomczyk, do vice-presidente do Sistema Famato/Senar, Normando Corral, e do presidente da Aprosmat, Carlos Ernesto Augustin, que fizeram questionamentos aos deputados federais. A mediação foi feita pelo secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, Seneri Paludo.

VITRINE AGROPEC – A programação da Vitrine Agropec continua na tarde desta quarta-feira (12.08). Ainda hoje será outro painel debaterá a crise dos frigoríficos em Mato Grosso, a partir das 16h. O evento conta ainda com palestras técnicas, vitrine da carne, leilões de gado, julgamento de raças e cavalos e 90 estandes das principais empresas do agronegócio.

Leia também:  Valter continua no comando local do PSB, após congresso municipal

A Vitrine Agropec conta com os patrocinadores: Rota do Oeste, Sistema Famato/Senar, Aprosoja, Aprosmat, Banco do Brasil, Prefeitura Municipal de Rondonópolis, Câmara Municipal de Rondonópolis e Governo do Estado. Tem ainda o apoio da Precision Planting – Monsanto, do Hotel Comfort e da Amaggi.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.