A Uefa cobrou, e a Fifa vai investigar uma suposta campanha difamatória contra Michel Platini. Candidato a substituir Joseph Blatter na presidência do órgão máximo do futebol, o francês seria o personagem central de um dossiê anônimo com duras críticas distribuído a veículos de imprensa. Em resposta à agência Reuters, a entidade confirmou que o secretário-geral, Jérôme Valcke, está apurando o caso.

O dossiê, intitulado “Platini, esqueleto no armário”, questiona a capacidade do francês para presidir a Fifa. O secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, pediu a Jerôme Valcke, que tem o mesmo cargo na Fifa, a investigação sobre o tema. Cópias da carta de Infantino foram sido direcionadas a Cornel Borbely e Domenico Scala, membros do comitê de ética da Fifa, que julgou procedente a solicitação.

Leia também:  Futebol em luto: morre Gilson Lira

Michel Platini é o principal candidato à presidência da Fifa até o momento. Além dele, há outros três pré-candidatos: o ex-jogador e técnico brasileiro Zico, o sul-coreano Chung Mong-joon (acionista majoritário da Hyundai) e Ali bin Al Hussein (príncipe da Jordânia). A eleição deve ocorrer no dia 26 de julho do ano que vem.

Atual presidente da entidade, Joseph Blatter anunciou a sua saída do cargo quatro dias após ter sido reeleito, em maio. O dirigente renunciou ao posto após os escândalos de corrupção envolvendo dirigentes da federação internacional.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.