Suspeitos presos por policiais da DERF-Foto:Messias Filho/AGORA MT
Suspeitos presos por policiais da DERF – Foto: Messias Filho/AGORA MT

Luis Felipe da Silva Magalhães, 19 anos, Vinicius de Oliveira Vasques, 33 anos, e a despachante Katia Regina Tavares, 50 anos, foram detidos ontem (7) pelos policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) sob o comando do delegado Gustavo Belão, com as acusações de inserção de dados falsos em sistema de informação, formação de quadrilha, crimes contra a fé pública, apropriação indébita e uso de documento falso. O trio é acusado de fazer parte de um esquema em que locava carros em outros estados e depois falsificava documentos e vendia esses mesmos veículos a outras pessoas.

De acordo com a Polícia Civil foi o próprio Detran de Cuiabá que desconfiou do esquema e denunciou as autoridades. Na manhã de ontem, os civis começaram a monitorar um escritório de despachante em Rondonópolis, foi quando Vinicius chegou para realizar mais um processo fraudulento e foi surpreendido pela Polícia.

Leia também:  Indígena é morto a tiros no bairro Primavera 3
Veiculos recuperados por policiais da DERF-Foto:Messias Filho/AGORAMT
Veiculos recuperados -Foto: Messias Filho/AGORAMT

Vinicius confessou todo o esquema as autoridades. Segundo ele os carros eram alugados em Locadoras de São Paulo e Belo Horizonte e trazidos para Barra do Garças – MT, onde Vinicius tinha um escritório e lá ele providenciava os documentos falsos em nome de ‘laranjas’ para fazer a transferência do veículo.

“Esses carros eram alugados em São Paulo e Belo Horizonte, por cerca de 4 a 5 dias e não retornavam mais”, fala um investigador.

Esses documentos eram trazidos para Rondonópolis, onde segundo Vinicius possuía uma despachante que conseguia encaminhar com facilidade ao Detran. Essa despachante trata-se de Katia Regina Tavares que nega participação no esquema alegando que os documentos que recebia estavam todos em ordem.

Leia também:  Bairro Seguro | 160 pessoas são detidas por crimes durante operação em Mato Grosso
Documentos adulterados apreendidos por policiais da DERF-Foto:Messias Filho/AGORA MT
Documentos adulterados apreendidos por policiais da DERF-Foto:Messias Filho/AGORA MT

Porém segundo a Polícia são muitas as evidências de que ela sabia da fraude, já que o próprio Vinicius afirmava que vinha para Rondonópolis só pra usar o serviço dessa despachante e que já era o 6º carro que ele trazia para fazer todo o processo. Para a polícia ao menos a facilitação a despachante realizava.

Na ocasião, Vinicius estava resolvendo a transferência de um veículo Audi e depois iria buscar um Ecosporte que estava em Primavera do Leste para fazer o mesmo processo.

A Polícia esteve em Primavera e encontrou o Ecosporte em um Hotel com Luis Felipe da Silva Magalhães que tentou fugir, mas acabou preso. Depois de trocar a documentação, Vinicius contou a Polícia que os carros eram levados para cidades de Goiás, estado onde ficava os ‘chefes’ do esquema.

Leia também:  Acusado de roubo 'surta' e quebra vidro de delegacia com a cabeça

A Polícia entrou em contado com a locadora de Guarulhos, proprietária do Ecosporte, que Já havia feito o Boletim Ocorrência.

Como se trata de um esquema a Polícia continuará investigação para localizar mais vítimas e envolvidos no caso.

A Polícia Civil não divulgou fotos da despachante envolvida no caso.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.