Profissionais da sáude irão participar nesta terça-feira (4), às 8h, de uma manifestação em frente a Santa Casa de Rondonópolis para marcar o fim do movimento “Acesso à Saúde, meu direito é um dever do Governo”.

De acordo com a assessoria de imprensa da snata casa todos estarão uniformizados com as camisetas da manifestação e com faixas que representam o protesto. Durante a ação a administração do hospital apresentará tanto aos participantes, como aos pacientes , acompanhantes e visitantes, como está a atual situação financeira da instituição de Rondonópolis, e por que o hospital passa por momentos de dificuldade.

Esse ato faz parte do Movimento Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos no SUS – formado pela Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), suas federações estaduais e os 50 maiores hospitais filantrópicos do país que foi lançado em maio, durante o 24º Congresso da Fehosp em Campinas, a campanha “Acesso à Saúde – Meu Direito é um Dever do Governo”.

Leia também:  Durante coletiva, governador fala sobre atraso no salário dos servidores

A iniciativa, apoiada pela Fehosp, pretende esclarecer a sociedade sobre a situação financeira precária enfrentada pela rede filantrópica, bem como pela saúde em geral, e alertar para o iminente colapso dos hospitais beneficentes e as graves consequências que isso pode acarretar para o SUS.

Na prática, as ações foram divididas em três etapas, municipal, estadual e federal, nessa ordem. No dia 29 de junho, foi realizado o Dia D nos municípios, com a convocação de vereadores, prefeitos e etc. No dia 13 de julho foi a vez do Dia D nos estados, com audiências com governadores, deputados estaduais, entre outras autoridades. O ápice é a data final, agendada para amanhã 04 de agosto, em Brasília, o chamado Dia D em defesa da Saúde. “é necessário primeiro envolver municípios, estados, entidades de classe, Ministério Público, conselhos, sindicatos, organizações sociais, imprensa, profissionais da saúde, pacientes, voluntários, frente parlamentares e gestores pela defesa do SUS, e por fim, buscar o apoio do congresso nacional”, explicou Rogatti.

Leia também:  Gás tem reajuste de quase 13% e consumidor deve pagar R$ 95 em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.