Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforça o alerta para a intensificação das ações de prevenção e controle da Dengue, da Febre Chikungunya e do Zika vírus nos 141 municípios mato-grossenses. A medida é consequência do aumento de casos notificados em todo o estado. Até inicio do mês de agosto, Mato Grosso registrou 19.009 notificações de dengue. Em comparação com o mesmo período do ano de 2014, quando 11.685 casos foram registrados, houve um aumento de 62,68%.

Em relação à ocorrência de óbitos em decorrência da dengue grave, cinco casos foram confirmados nos municípios de Matupá, Sapezal, Sorriso, Cuiabá e Rondonópolis. Sete mortes seguem em processo de investigação, aguardando o resultado do laboratório.

Tendo em vista a situação de risco para epidemia, a Ses recomenda às Secretarias Municipais de Saúde que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que os óbitos sejam evitados. Além disso, estão sendo realizadas atividades de vistoria, orientação e prevenção, principalmente nos municípios silenciosos e de maior incidência.

Leia também:  MEIs poderão emitir nota fiscal eletrônica a partir de setembro

Para a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Flávia Guimarães, o aumento é alarmante, tornando ainda mais necessário que as ações de controle e prevenção ao mosquito transmissor da dengue sejam intensificadas por parte de todos os gestores municipais e com a ajuda da população. “O que permite que a gente tenha o mosquito é o criadouro, por isso é fundamental que as ações de combate sejam contínuas e a população se mantenha atenta. Havendo o criadouro existe a possibilidade de o mosquito nascer, voar e transmitir a doença”.

Também foram registrados 204 casos suspeitos de Febre Chikungunya. Deste total, 133 estão sob investigação e 71 foram descartados nos municípios de Barra do Bugres, Campo Novo do Parecis, Cuiabá, Guarantã do Norte, Juina, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Nova Olímpia, Primavera do Leste, São Félix do Araguaia, Sorriso, Terra Nova do Norte e Várzea Grande. Até o momento, não foram confirmados casos de transmissão da doença em Mato Grosso. No entanto, no início do mês de março ocorreu o primeiro caso “importado” de Febre Chikungunya, em Cuiabá.

Leia também:  Concurso trará tranquilidade e segurança a servidores da Educação, diz governador

Zyka – O Zika vírus (ZIKAV) é um arbovírus do gênero Flavivírus, que apresenta sintomas parecidos com o da Dengue e da Febre Chikungunya: dores nas articulações, dor de cabeça, febre, náuseas, diarreia e mal-estar. A fotofobia é uma das características diferenciais da doença, assim como manchas no corpo, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, e conjuntivite sem secreção e coceira. Cento e duas amostras de exames já foram enviadas para diagnóstico diferencial, mas ainda não foi confirmada a circulação do Zika vírus em Mato Grosso.

Cuidados – A eliminação dos criadouros ainda é a principal ação no combate às doenças. A principal medida de prevenção é evitar água parada em qualquer tipo de recipiente. Além disso, é preciso manter os quintais e terrenos sempre limpos e as caixas d’águas devidamente fechadas. Recomenda-se ao paciente que apresentar sinais e sintomas das doenças procurar imediatamente os serviços de saúde e evitar o uso medicamentos sem prescrição médica.

Leia também:  Prouni abre inscrição para 77 mil bolsas em universidades privadas nesta segunda
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.