A Polícia Judiciária Civil concluiu nesta quinta-feira (13.08) as investigações da tentativa de assassinato de um jovem que ficou paraplégico, na cidade de Itiquira (357 km ao Sul). O crime foi praticado no dia 20 de maio deste ano pelos suspeitos Dionatan Batista da Silva, conhecido por “Jonhy”, apontado como o executor, e o Claudinei Silveira Brun, possível fornecedor da arma. Ambos foram indiciados por tentativa de homicídio qualificado.

Os dois suspeitos estão presos por prisão temporária e tiveram pedido de conversão em preventiva, representado no relatório final do inquérito enviado ao Fórum da comarca.

A vítima M.R.P, 24 anos, foi alvejada por um disparo de arma de fogo, que ficou alojadona coluna, que o deixou paraplégico, por ter descoberto que os indiciados estariam envolvidos em pequenos furtos na propriedade rural em que trabalhavam, localizada no assentamento Santa Ana, zona rural, de Itiquira.

Leia também:  Após apresentar atitude suspeita, rapaz é detido por receptação no Jardim Primavera

Os dois suspeitos foram presos no dia 21 de julho, em cumprimento de prisão temporária, representado pelo delegado Santiago Rozendo Sanches. O suspeito Dionatan Batista da Silva foi preso em Rondonópolis (212 km ao Sul), em ação conjunta da Delegacia de Itiquira e da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf). No dia seguinte, Claudinei Silveira Brum, foi preso pela equipe de investigação de Itiquira, em uma propriedade rural próxima ao local dos fatos.

Em interrogatório, Dionatan Batista confessou o crime, alegando ter agido em legítima defesa. Já Claudinei Silveira negou a participação na tentativa de homicídio, mas diante dos demais elementos colhidos durante a investigação também foi indiciado pela participação no crime.

Leia também:  Ciclista que andava na contramão em avenida que possui ciclovia é atropelado e morre em MT

Com Claudinei, a Polícia apreendeu um rifle calibre 22, que foi utilizado na ação, porém não é arma usada na tentativa de execução da vítima. A possível arma do crime é uma espingarda calibre 32, que foi jogada na mata pelo indiciado Dionatan e não foi localizada.

“Importante destacar o empenho de toda equipe de investigação da Delegacia de Itiquira-MT que vem atuando de maneira célere e eficaz, elucidando a quase totalidade dos casos investigados pela Delegacia”, disse o delegado Santiago.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.