Foto: assessoria
Foto: assessoria

Durante a audiência pública sobre o aterro sanitário na última terça-feira (4), o vereador Thiago Silva cobrou do Sanear e da Empresa Financial ganhadora da licitação para construção e exploração do aterro a inclusão social dos trabalhadores do lixão localizado na mata grande e dos catadores da cooperativa de reciclagem Coopercicla. “Cobramos ainda o compromisso e a definição do tipo de apoio aos catadores por parte do poder público e da empresa Financial com o funcionamento do aterro e usina de reciclagem que precisa ser equipada com caminhão e prensa para dar viabilidade de renda para os trabalhadores”, disse o vereador.

De acordo com Thiago Silva, em resposta às solicitações o coordenador regional da empresa Financial Élcio Terra, presente na audiência, informou que a empresa construirá uma Usina de reciclagem dentro do aterro para fazer a separação do lixo. “Segundo ele, este projeto será exclusivo para a reciclagem do lixo e beneficiará diretamente os catadores das cooperativas”, informou o parlamentar.

Leia também:  Câmara sanciona Projeto de Lei que permite aos cidadãos acesso à lista de imóveis da prefeitura de Rondonópolis

O vereador e ambientalistas presente na audiência cobraram não somente a Usina, mas caminhão para transporte do material, prensas e apoio financeiro para que o trabalho posso ser iniciado, caso contrário não será viável aos catadores, pois o retorno financeiro das cooperativas é a longo prazo.

Ainda conforme o vereador, no edital de licitação onde a empresa Financial ganhou o direito de explorar o serviço na cidade é previsto o investimento de R$ 120 mil em projeto de educação ambiental, sendo assim, Thiago Silva cobrou que o valor sege aplicado no cumprimento da lei 8.452 de 2015 de sua autoria e que institui a coleta seletiva no município.

Na audiência também foi sanado as dúvidas quanto a destinação do chorume, ou seja, o liquido tóxico gerado pelo aterro e questões relacionados ao processo licitatório.

Leia também:  Aécio chora ao retornar para senado e diz que sofreu falsas acusações e uma criminosa armação

A licitação para coleta e destinação final dos resíduos sólidos de Rondonópolis foi concretizado entre janeiro e março deste ano. Um total de 15 empresas comprou o edital detalhado, visando participação no certame. A ordem de serviço quanto à licitação foi dada, segundo o Sanear, no começo do mês de abril e, a partir desse procedimento, a empresa vencedora, a Financial Ambiental, tem um prazo de seis meses, isto é, até outubro de 2015 para garantir a destinação final dos resíduos sólidos de forma correta em Rondonópolis. A área que deverá abrigar o novo aterro sanitário fica localizada no prolongamento da MT-270, entrada para o Distrito de Fátima de São Lourenço pela Rodovia BR-364.

Leia também:  Neuma ganha força e ajuda Pátio a tomar decisões
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.