Alguns alimentos funcionais ganharam fama por auxiliarem na perda de peso e ainda possuírem uma série de nutrientes essenciais para a saúde. Porém, é preciso tomar cuidado ao consumi-los, pois algumas maneiras podem fazer com que o alimento não ofereça todas as substâncias benéficas que tem. A seguir, nutricionistas explicam qual é a maneira correta de ingerir o goji berry, o chá de hibisco, o chá verde, a linhaça, a chia, o gengibre, a canela, a pimenta, a quinoa, o café, o agar-agar e o gergelim. Confira:

Goji berry

1. Goji berry

Além de ajudar a emagrecer, o goji berry ainda ajuda a reduzir a celulite e melhora o sistema imunológicos, entre outros benefícios. Ele pode ser consumido como suco, in natura ou desidratado.

Caso opte pela versão desidratada, que é mais comum no Brasil, é recomendado ingeri-la com água para hidratar as fibras e potencializar os efeitos benéficos. “A fruta pode ser misturada a outras frutas, saladas, sucos e iogurtes, para que se alcance seus efeitos. O importante é que seu consumo esteja presente no dia a dia”, afirma a nutricionista Cátia Medeiros. A orientação é consumir entre 15 a 45 gramas da fruta ou 120 ml do seu suco.

Acredita-se que alguma substância do goji berry interaja com o P450, local no fígado onde muitos medicamentos são metabolizados. Portanto, o consumo do alimento não é indicado para quem faz uso de medicações diária importantes como para o controle glicêmico e de pressão.

Quando é consumido em excesso alguns estudos feitos nos Estados Unidos apontam que chá de goji berry tem ação inibitória de medicação utilizada para evitar trombose ou anticoagulantes.

Foto: Aleksandr Lychagin/ Thinkstockphotos/ Getty Images
Foto: Aleksandr Lychagin/ Thinkstockphotos/ Getty Images

2. Chá de hibisco

O chá de hibisco ajuda na queima de gordura, tem ação diurética, é antioxidante e controla o colesterol. Para aproveitar todos os seus benefícios é preciso alguns cuidados ao preparar a bebida. “Para elaborar o chá corretamente deve-se atentar à água, ela precisa ser mineral e não pode ser muito aquecida. A temperatura máxima é de 65 a 85 graus, quando pequenas bolhas começarem a se formar no fundo da caneca”, explica a nutricionista Julie Maida, da Rede Mixirica. Isto porque se a água entrar em processo de fervura fará com que o chá perca suas propriedades funcionais.

Utilize 200 ml de água, aqueça conforme orientado e adicione 4 a 6 gramas, o equivalente a uma colher de chá, da flor seca ou dois a três pacotinhos de chá. Estes 200 ml são a quantidade recomendada de chá de hibisco por dia.

Quem realmente pretende emagrecer pode combinar o chá de hibisco com um alimento termogênico. Isto porque o primeiro irá evitar o acúmulo de gordura na região do abdômen e quadris e o segundo será capaz de aumentar o gasto energético.
É importante ressaltar que esta estratégia só adianta quando a pessoa tem uma dieta balanceada e pratica exercícios.

O consumo em excesso do chá de hibisco não é orientado, pois como a bebida tem ação diurética pode fazer com que a pessoa elimine muitos eletrólitos, nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo, composto principalmente por cálcio, potássio, sódio e magnésio. A falta dessas substâncias pode levar a desidratação.

Leia também:  Em um ano, excesso de peso matou cerca de 4 milhões de pessoas no mundo

Gestantes e lactantes devem evitar o chá de hibisco, pois algumas pesquisas preliminares mostraram que a bebida possui ação mutagênica, ou seja, pode interferir na estrutura dos genes do bebê, levando a problemas.

chá verde3. Chá verde

O chá verde possui ação antioxidante e é um termogênico, ou seja, queima as calorias mais rapidamente no nosso corpo. A melhor forma de aproveitar os nutrientes da bebida é não ferver a água. “Caso aconteça de adicionar água fervente direto ao chá-verde, esta fará com que ele perca suas propriedades benéficas e confere um gosto muito amargo”, alerta Maida.

Por isso, aqueça a água para o chá até começar a formar bolhas no fundo da caneca, cerca de 60 a 85 graus. Depois, acrescente duas colheres de sopa da folha da erva, que é a opção mais saudável do que as versões em pó, saquinho ou cápsulas, na água. Desligue o fogo e deixe abafando por cinco a dez minutos. Para diminuir o efeito estimulante da bebida, descarte a primeira água e então repita o processo.

A quantidade recomendada de chá verde por dia é até 600 ml. Evite consumir o chá verde durante as refeições.  Como o chá verde possui grandes quantidades de cafeína o excesso da bebida pode causar insônia e levar a gastrite por aumentar a secreção gástrica. Beber mais do que os 600 ml por dia também pode reduzir a absorção de diversos nutrientes como o ferro e o cálcio.

Gestantes devem evitar tomar o chá verde, pois ele pode reduzir o fluxo de sangue para a placenta, dificultando o desenvolvimento do feto. Pessoas com hipertireoidismo também devem evitar o chá, já que elas estão mais propensas à aceleração do metabolismo, devido a maior produção de hormônios da tireoide. Também é contraindicado para hipertensos, pessoas com glaucoma e irritações gástricas.

Este chá ainda pode ter interações com remédios que estimulam o sistema nervoso simpático, portanto, ele não é indicado para quem os ingere.

Foto: Getty Images4. Linhaça e chia

Tanto a linhaça quanto a chia contribuem para o emagrecimento, pois proporcionam saciedade. Ambas são ricas em ômega 3, gordura poli-insaturada que é boa para o coração, visão, cérebro, entre outros benefícios.

Porém, para a aproveitar o ômega 3 presente na linhaça e na chia é melhor triturar as sementes, pois o ácido graxo está dentro de uma capa de celulose. Ao quebrar essa capa, um óleo muito sensível é exposto. Então, a orientação é triturar as duas e consumir na hora ou se quiser ingerir depois, coloque-as em uma vasilha de plástico fosca com tampa e leve ao freezer. Desta forma o alimento ficará protegido de luz, oxigênio e da temperatura, evitando que ocorra a oxidação.

A linhaça e a chia também são saudáveis quando consumidas in natura, pois são ricas em fibras. As versões in natura podem ser combinadas com saladas, iogurte, frutas e sucos. A chia também pode ser hidratada em 60 ml de água e após formar o gel pode ser consumida pura ou misturada ao suco e vitaminas.

Leia também:  Como aliviar a dor de garganta infecciosa?

A quantidade recomendada de linhaça é 10 gramas ao dia, cerca de uma colher de sopa, e no caso da chia, estudos feitos em humanos obtiveram resultados positivos com cerca de 25 gramas, duas colheres de sopa, da semente.

Não há contraindicação para o consumo de chia. Porém, o alimento não pode ser ingerido em excesso, pois pode levar ao aumento de peso, constipação intestinal, especialmente se a pessoa não tomar quantidade suficiente de água, e desconfortos gástricos.

Pessoas com intestino que funciona rapidamente podem ter desconfortos com o consumo da linhaça. O excesso de linhaça pode causar problemas como competição por absorção, produção excessiva de gases e até mesmo obstrução intestinal.

Foto: Reprodução / Bolsa de Mulher
Foto: Reprodução / Bolsa de Mulher

5. Gengibre

O gengibre ajuda na perda de peso e também tem ação anti-inflamatória. Ele pode ser consumido de diversas maneiras saudáveis, uma delas é como chá. “O chá pode ser feito por fervura, com a tampa do recipiente fechada, mas também pode ser utilizado em lascas dentro da água ou mesmo dentro de chás como o de hibisco”, orienta Medeiros.

Este alimento também pode ser adicionado ao suco na hora de liquidificar e após feito isso não coe a bebida antes do consumo. “O ideal é tomar no momento do preparo, afinal a maioria das misturas que levam o gengibre são fontes de vitamina
C que é bastante sensível a variações de temperatura”, explica Medeiros.

As lascas de gengibre puras podem ser adicionadas na salada ou ao molho que irá acompanhar o prato. O gengibre em pó é uma ótima opção para temperar carnes e sobremesas. Estudos sugerem que benefícios podem ser alcançados com o consumo de 2 a 4 gramas de gengibre por dia.

O gengibre não é recomendado para gestantes, lactantes e crianças. O alimento também não é orientado para pessoas com hipertireoidismo, com cardiopatias, enxaqueca, úlcera e alergias.

O gengibre pode ter alguns efeitos colaterais como azia, diarreia e desconforto estomacal. Caso isso ocorra o alimento deve ser excluído da dieta. O gengibre é contraindicado para pacientes que fazem usos de medicamentos anticoagulantes por já retardar a coagulação sanguínea. A raiz também é perigosa para quem toma remédios para controle do diabetes.

canela6. Canela

A canela se destaca por prevenir e controlar o diabetes e o colesterol e ainda tem ação termogênica. Não há diferenças nutricionais entre a canela em pó e em pau. Este tempero pode ser polvilhado nas frutas, legumes, carnes e também ser incluída em chás e sucos. O mingau de aveia também pode levar este tempero.

Você não resiste ao arroz doce, então a canela pode ser sua aliada. Um estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition observou que incluir três gramas de canela no arroz doce promove a redução dos níveis de insulina logo após a refeição e o aumento do GLP-1, hormônio que estimula a secreção de insulina. Esse processo ajuda a controlar as taxas de açúcar no sangue. A quantidade recomendada de canela por dia varia entre um e seis gramas.

Leia também:  Caprichar nos vegetais dá mais disposição

Combinar o gengibre com a canela é uma ótima ideia para quem está resfriado ou quer prevenir o problema. A canela estimula o sistema imunológico e o gengibre possui ação anti-inflamatória que ajuda a lidar com infecções no trato respiratório e tosse. A dupla também potencializa o gasto energético no organismo.

O consumo da canela não é indicado para gestantes porque aumenta os riscos de aborto. Lactantes e bebês também não devem ingerir. Pessoas com hipertensão e também quem tem problemas no fígado devem consultar o médico sobre o consumo da canela.

O consumo em excesso de canela pode causar intoxicação, irritação das mucosas e do intestino, alteração dos batimentos cardíacos, úlcera e alergias.

pimentas7. Pimenta

As pimentas do gênero Capsicum possuem forte ação termogênica, ajudam no combate ao câncer e são boas para o coração, dentes e estômago. A melhor forma de consumir esta pimenta é in natura ou desidratada. “Fator importante é o grau de ardência do alimento. Quanto mais picante maior o teor de capsaicinoides”, afirma Medeiros. Portanto, quanto mais ardida a pimenta melhor para a saúde.

A pimenta é contraindicada para pessoas com úlcera, gastrite e hemorroidas. Quando consumida em excesso a pimenta, especialmente na forma de molho, pode causar queimaduras ou bolhas na boca ou na língua.

cafe8. Café

O café é uma bebida termogênica e ainda tem ação estimulante e é benéfico para o coração. Tanto as versão coada como expressa são benéficas para a saúde. “A forma ideal de consumo do café é puro e de preferência sem açúcar ou adoçante”, conta Maida. A orientação é consumir no máximo entre três e quatro xícaras de 50 ml de café por dia.

O excesso de café pode levar a alguns problemas de saúde. A mucosa do estômago pode ser prejudicada por grandes quantidades da bebida. Devido à cafeína presente no café pode ocorrer o aumento da frequência cardíaca em casos de abuso.

O café não coado, como o turco, ainda pode levar ao aumento do colesterol. O sono também pode ser afetado pelo excesso da bebida, já que ela tem ação estimulante. Por isso, a orientação é evitar a bebida após às 16h. O excesso de café pode ser considerado algo acima de seis xícaras de 50 ml por dia.

Gestantes e crianças devem evitar o consumo de café. Pessoas que sofrem de ansiedade, glaucoma, incontinência urinária, osteoporose, hipertensão, diabetes e Síndrome do Intestino Irritável devem consultar seus médicos sobre se podem e o quanto podem consumir de café.

Quem toma pílula anticoncepcional deve ingerir o café de forma moderada. Isto porque a cafeína interage com a pílula e a combinação entre os dois pode levar a nervosismo, dor de cabeça, batimento cardíaco rápido e outro efeitos colaterais.
Quem estiver com diarreia também deve evitar o consumo do café, isto porque em algumas pessoas mais sensíveis uma pequena xícara basta para estimular os músculos do intestino. Além disso, o efeito diurético da cafeína faz com que a pessoa perca líquidos que são extremamente necessários quando a ela está com o diarreia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.