Paciente doando sangue.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT
Paciente doando sangue.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT

Um ato de solidariedade e que pode salvar vidas, é a definição que encontramos para o gesto da doação de sangue em campanhas, sites de notícias, folhetos informativos. Mas apesar das várias campanhas de conscientização para este ato, ainda há vários mitos que prejudicam a doação e afastam as pessoas dos hemocentros.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre a doação e orientar futuros doadores, nossa equipe procurou a coordenadora do Banco de Sangue de Rondonópolis, Eslayne M. De carvalho.

Eslayne de Carvalho.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT
Eslayne de Carvalho.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT

É seguro? Doar sangue é um ato simples e totalmente seguro que não prejudica a saúde do doador. Todo o material utilizado é descartável.

Uma doação de sangue pode salvar até quatro vidas? Sim, este ato pode ajudar a salvar até quatro vidas diferentes.

Engrossa ou afina sangue? Mito, a doação de sangue não altera a circulação.

Perde peso ou engorda? Mito, a doação não altera o peso. Todo o sangue doado é reposto em menos de 24h, por isso não há alterações.

Quem pode doar? Pessoas que tenham entre 16 anos (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos, 11 meses e 29 dias; não ter contraído hepatite após os 10 anos, ter boa saúde e pesar mais de 50 quilos.

“Vale destacar que quem doa uma vez, não torna obrigatório novas doações. É um ato solidário”, explica a coordenadora.

Grávidas podem doar? Segundo o INCA, grávidas não podem doar. Se o parto for normal, a mulher pode doar depois de três meses. Em caso de cesariana, após seis meses. Se estiver amamentando, aguardar 12 meses após o parto.

Tenho tatuagem, posso doar? A restrição dura apenas um ano neste caso. Quem fez tatuagem há mais de um ano pode doar sangue.

Doar sangue vicia? Mito. A doação não está relacionada a nenhuma dependência.

O que é feito com o sangue que doamos? Segundo o INCA, após a coleta, a bolsa coletada é fracionada em componentes sanguíneos (concentrado de hemácias, de plaquetas e plasma). Esses componentes são liberados para uso somente após o resultado dos exames. As unidades que apresentam reatividade sorológica são descartadas. Uma única unidade doada pode beneficiar três pacientes.

“Mais do que doar, faço um convite as pessoas a conhecer a unidade de doação, faça uma visita e pense no quão importante é salvar vidas,” ressaltou Eslany.

O intervalo das doações? A coordenadora explica que na unidade de doação em Rondonópolis, o intervalo para doação é para os homens: 90 dias (3 meses – 4 doações por ano) e mulheres: 120 dias (a cada 4 meses e até 3 doações por ano).

“É preciso ter consciência que ajuda ao próximo que nada substitue o sangue humano e que hoje você pode salvar uma vida e um dia você pode precisar,” destacou a coordenadora.

O Banco de Sangue de Rondonópolis funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h30, sem intervalo. Não precisa estar em jejum e não precisa de agendamento.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.