Servidores federais de todo o país participam de uma greve geral realizada nesta quarta-feira (23), em protesto aos cortes anunciados pelo governo federal para promover o ajuste fiscal. Outra preocupação por parte da classe trabalhadora é quanto à suspensão de concursos públicos e o fim do abono de permanência. Para a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), as medidas adotadas penalizam os servidores federais, enquanto outras ações poderiam ter sido acatadas pelo governo.

Em Rondonópolis, as atividades de radicalização referente ao dia de paralisação nacional serão realizadas por cada entidade de forma singular em razão das revindicações de cada uma. Apesar disto, os representantes de alguns órgãos explicaram que em paralelo com este ato estão ocorrendo assembleia para definir pela continuidade ou fim da greve.

Leia também:  Juiz Pós-doutor de Rondonópolis publica Livro de Direito Ambiental

UFMT – As atividades serão realizadas a partir das 14h, no anfiteatro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus de Rondonópolis. Para o ato, vão participar estudantes e os servidores federais. “Cada categoria vai expor as pautas e abrir a discussão. É um ato público de descontentamento dos servidores, ” explicou a representante da Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat), Ivanete Rodrigues.

IFMT – De acordo com a vice-presidente do Comando Geral de Greve, Helen Santana, os servidores do Instituto Federal de Mato Grosso, em Rondonópolis, não devem realizar nenhum ato junto ao movimento nacional. Ela explicou que caso ocorra alguma manifestação por parte da categoria deverá ocorrer na quinta-feira (24), após assembleia realizada amanhã para decidir se vão optar pelo indicativo de suspensão da greve.

Leia também:  Ingressos para a 3ª Edição do Cerrado Fuzz Festival estão à venda

INSS – Segundo a representante do Instituto Nacional do Seguro Social, Michelle Casali, os servidores realizam assembleia todas as quartas-feiras, mas não ficou decidido ainda se devem realizar alguma atividade referente ao dia nacional de paralisação. Ela explica que a classe está envolvida com as negociações e deverá ainda ocorrer uma assembleia nacional para decidir se os servidores do Instituto encerram a greve.

Ministério do Trabalho – Há três semanas em greve, os servidores do Ministério do Trabalho, aderiram a paralisação nacional realizada nesta quarta-feira (23). Com faixas nas mãos, 22 servidores mobilizaram em frente a unidade do órgão em Rondonópolis. Com isto, não haverá expediente amanhã. Os servidores revindicam melhores condições de trabalho.

Leia também:  Proposta do novo IPTU reduz valores de imóveis menores e combate especulação imobiliária
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.