Foto: assessoria
Foto: assessoria

Pontualmente às 07hoo de domingo (20) atletas e desportistas de todo Brasil se uniram para fazer juntos o Treinão Pela Paz no país e no mundo. O ato reuniu em Rondonópolis cerca de 150 pessoas. Destas, algumas correram 10 quilômetros, umas 5 km e outras optaram por caminhar. Assim, exercitando, vestidos de branco, se uniram para proclamar a paz.

Antes da largada para corrida ou para caminhada, todos deram as mãos, fizeram momento de reflexão sobre o alto índice de violência registrados no país, como por exemplo, assalto, roubo e morte; como também lembraram da triste situação vivida por vários povos, como os Sírios.
Valdiney Souza, Educador Físico e coordenador da equipe Vitallity, afirma que a intenção foi de fazer alerta sobre o perigo e a violência no trânsito de Rondonópolis. “Não basta ficarmos atentos com o trânsito, ainda temos que nos preocupar com os assaltos e os assédios contra mulheres. A cidade está muito violenta em todos os sentidos”.

Os participantes também se uniram para fazer oração, erguer juntos a bandeira da paz e por meio da atividade física mandar o recado para a sociedade rondonopolitana. Regiane de Freitas, Secretária, Corredora de Rua e idealizadora do ato no município, explica que o Treinão pela paz ocorreu também nas cidades de Nice e Île de la Reunion, França. “Lancei a ideia, e todos os grupos de corrida de Rondonópolis apoiaram. Todos os participantes suaram a camisa pela paz. Estamos precisando de paz.”

Leia também:  Pronto Atendimento implanta avaliação por classificação de risco para qualificar atendimento

De acordo com a organização do evento, cinco equipes da cidade participaram do ato. Além disso, muitas pessoas que não participam de grupos esportivos também marcaram presença. Para Silas Abrão, Educador Físico e Personal Trainner da equipe Run Fit, foi uma manhã de domingo muito diferente e animada para os amantes da atividade física. “A gente tem que participar, tem que praticar esporte, que é uma forma de lazer, de cidadania e fazer novas amizades. O esporte promove a qualidade de vida, melhora os parâmetros de saúde da população, ajuda na integração e até para atos de civismo e solidariedade como este.”

Para João Gomes, coordenador da equipe Rondon Street, o Treinão Pela Paz foi também para chamar atenção dos que não correm e nem caminham para começar a praticar atividade física. “Temos que alertar sobre o sedentarismo e incentivar a busca pela qualidade de vida através do esporte.”

Leia também:  Cursinho Força e Honra oferece aos alunos palestra com Paulino Yoshida

A equipe Alma, liderada pela Educadora Física Larissa Benites, também marcou presença no evento. “Cada atleta tem um motivo e um incentivo para treinar, pode ser apenas pela manutenção da saúde ou visando um bom rendimento. Particularmente, achei maravilhoso esquecermos nossos motivos e incentivos pessoais para treinamos por uma só causa, um só objetivo: a luta pela paz!”
Outra equipe que participou do ato foi a Bio Fitness, conduzida pela Educadora Física Claudineia Alvez.
Para ela, a ação, por meio da união das assessorias esportivas e demais praticantes de caminhada ou corrida foi um grande incentivo para que outros eventos como esse ocorram em Rondonópolis. “Precisamos de mais promoções esportivas na cidade. Que este movimento sirva de motivação e exemplo para todos nós que gostamos de esporte e conclamamos a paz em todos os cantos do mundo.”

Leia também:  Banhistas encontram corpo em meio a pedras na Cachoeira do Escondidinho

Mariozan de Abreu, da equipe Team Mario, também compartilha da ideia que é preciso ter mais eventos desta natureza no município. “Há muitos corredores na cidade. E quando tiver prova é necessário que o poder público apoie, com pelo menos carros batedores, os amarelinhos.” Segundo a organização do evento foi solicitado a presença da equipe dos fiscais de trânsito, para garantir a segurança dos participantes. Porém eles não compareceram.

O Treinão Brasil pela Paz não teve objetivo de classificar os melhores corredores, então não houve marcação de tempo e nem premiação para os primeiros colocados. “Foi um treino de paz, sem a necessidade de dizer quem correu mais ou menos. O mais importante nós fizemos, erguemos a bandeira da paz e chamamos a sociedade para refletir e vestir branco conosco”, finaliza Regiane Freitas, idealizadora do ato na cidade.

Brasil: De acordo com Ubiracy Rezende do Rio de Janeiro, idealizador nacional do Treinão Brasil Pela Paz, o ato aconteceu em 48 cidades do Brasil e reuniu mais de 2.5 mil corredores e caminhantes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.