Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT aceitaram nesta quarta-feira (23) a proposta do Governo Federal, porém, a greve continua. Seguindo orientação do Comando Nacional de Greve, a suspensão do movimento paredista está condicionada a efetiva assinatura do Termo e Acordo. A redação do documento será dada pelo Governo, porém os trabalhadores devem acompanhar todo o processo para que a proposta seja integralmente respeitada.

Uma nova assembleia geral da categoria já está marcada para próxima terça-feira (29), quando, caso o Termo de Acordo já tenha sido assinado, será definida a data da suspensão da greve. “No dia 28 de maio iniciamos um movimento nacional, com a adesão de várias universidades. A saída da greve deve acontecer da mesma forma, nacionalmente, de forma unificada. A proposta do Governo não repõe as perdas inflacionárias, longe de oferecer algum ganho salarial, mas o momento econômico e político do país pesou na decisão dos trabalhadores”, destacou a coordenadora geral do Sintuf-MT, Leia de Souza Oliveira.

Leia também:  Inscrições para curso gratuito preparatório para o Enem terminam nesta segunda

Na orientação do CNG é apresentada uma análise da conjuntura nacional e os caminhos até aqui seguidos pela maior greve, tanto em duração como em adesão, da história dos técnico-administrativos em Educação. Pela primeira vez, uma tabela de salários foi apresentada a categoria, que após análise criteriosa da mesma, aceitou a proposta da Governo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.