Influenciado pelo aumento do preço do óleo diesel, anunciado na semana passada pela Petrobras, o preço do frete rodoviário pode aumentar 30% até março de 2016 no estado de Mato Grosso – MT, principal exportador de grãos do país. A conclusão foi feita pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas. O reajuste da Petrobras foi de 6% no preço da gasolina e de 4% de óleo diesel nas refinarias. Economistas acreditam que as empresas de transportes não devem repassar de imediato o aumento.

“O repasse não deve ser imediato para as empresas de transportes porque, geralmente, os contratos são fechados por prazos, como por exemplo de um ano, e o preço acaba sendo fixado. É claro que, nesses contratos, são incluídas cláusulas prevendo reajuste de preço em caso de aumento de combustíveis. O fator concorrência, no entanto, acaba inibindo um pouco esse repasse porque pode chegar uma empresa que tenha margem para não repassar o custo de imediato e ganhar mercado em relação a outra” explica a economista Joseane Birigan, da Universidade de São Paulo (USP).

Leia também:  Avião com 400 kg de cocaína é apreendido em Tangará da Serra

De janeiro de 2010 a agosto de 2015, o valor do frete no Brasil avançou a 110%. Fatores como a Lei do Caminhoneiro, alta do preço do combustível e encarecimento dos pedágios aparecem como os maiores vilões das transportadoras, que estão enxugando todos os custos para tentar manter contratos neste ano.

LEIA MAIS 

Consumidor pode se preparar para o reajuste da gasolina e do álcool

Reajuste de combustível chega ao consumidor rondonopolitano

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.