Foto: Reprodução/Dicas Cidade
Alimentos que contém glúten – Foto: Reprodução/Dicas Cidade

A intolerância ao glúten é uma condição conhecida na comunidade médica como doença celíaca. Embora estejamos acostumados a ouvir sobre a importância de tirar o glúten da dieta, estima-se que esta condição afete apenas cerca de 1% da população mundial.

Além da doença celíaca, algumas pessoas também podem apresentar diferentes graus de sensibilidade ao glúten. Ainda que o teste para identificá-la dê negativo nestes casos, esta sensibilidade pode trazer diversos incômodos para a vida das pessoas que sofrem com ela, por isso é importante saber como diagnosticá-la e tratá-la.

Com base nisso, o site Melhor com Saúde listou alguns dos sintomas mais comuns para que as pessoas consigam detectar o problema e procurar ajuda. Confira alguns deles:

Leia também:  Conheça 8 tipos de sal e aprenda a usá-los

– Sentir dores de cabeça e/ou enxaquecas, principalmente após consumir alimentos que contenham glúten.

– Problemas digestivos e gastrointestinais. Alguns exemplos são gases, inchaço abdominal, diarreia ou prisão de ventre, cólicas intestinais ou até síndrome do intestino irritável.

– Alterações repentinas no humor e no estado emocional, sendo que muitas delas costumam ser totalmente irracionais. Também pode ocorrer o aumento da irritabilidade, fazendo com que você se irrite com coisas simples que antes não causavam esse estado.

– Sensação de fadiga e cansaço após consumir uma refeição com alimentos que contêm glúten. Também é possível sentir falta de clareza mental e dificuldade de concentração após a ingestão.

Leia também:  Rótulos de certas águas de coco não são confiáveis, diz Proteste

– Alguns sintomas neurológicos como tontura, dificuldade de manter o equilíbrio e neuropatia periférica, que afeta os nervos fora do sistema nervoso central e pode causar dor, fraqueza, dormência ou formigamento nas extremidades do corpo.

– Inflamação, inchaço ou dor nas articulações, como por exemplo nos dedos, joelhos e quadril.

– Diagnóstico de doenças autoimunes como a tireoidite de Hashimoto, artrite reumatoide, colite ulcerativa, lúpus e psoríase.

– Perda repentina e inesperada de peso, que pode ocorrer devido à dificuldade de absorção dos nutrientes.

– Anemia devido a uma deficiência de ferro sem nenhuma outra explicação aparente.

Embora possa parecer simples retirar este elemento do nosso dia a dia, é importante fazê-lo sempre com orientação médica. Somente um profissional poderá diagnosticar esta condição e garantir que a nova dieta seja equilibrada e supra todas as necessidades nutricionais e vitamínicas do nosso organismo.

Leia também:  Já ouviu falar em falsa magra?
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.