Foto: assessoria
Foto: assessoria

A retomada das obras no Aeroporto Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, provocou a visita do Instituto de Cartografia da Aeronáutica – ICA da Força Aérea Brasileira – FAB, que está fazendo um levantamento de dados topográficos para que posteriormente seja feito um estudo da viabilidade de operação por instrumentos, com procedimentos – RNAV (navegação de área). Este tipo de procedimento é um método de navegação que permite que as aeronaves naveguem utilizando os satélites já existentes na órbita terrestre, sem a necessidade da instalação de aparelhos de auxílio à navegação aérea no solo.

A equipe da FAB, comandada pelo Tenente Eduardo Cardim Neves, oficial especializado em Controle de Tráfego Aéreo, explicou que esta é a primeira etapa do processo e não significa uma operação com RNAV. “A Força Aérea inicia o processo de elaboração dos procedimentos de pouso e decolagem a partir do levantamento dos obstáculos e das características físicas do aeródromo para sua posterior análise de obstáculos. A segunda etapa consiste na digitalização desses dados, fazendo com eles cheguem ao banco de dados do ICA. Após a oficialização dos dados, é preciso que o aeródromo de Rondonópolis seja inserido em um planejamento feito pelo DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, para, por fim, elaborar os procedimentos”.

Leia também:  Rondonópolis e outros seis municípios correm o risco de perder zona eleitoral

A ampliação e melhorias na parte estrutural do aeroporto aliada à abrangência de voos, provocaram nas Companhias Aéreas que operam na cidade, o pedido ao município pelo procedimento de navegação por instrumento via satélite e não mais visual, como o já existente. “Conforme o Aeródromo foi crescendo, houve a necessidade de melhorias e de suporte. Constatamos uma área bem estruturada grande e sem obstáculos, uma pista que atende às aeronaves que operam no local, uniforme e que condiz com o que a região necessita. Vamos fazer o levantamento de obstáculos e algumas características físicas para a confecção de uma base de dados”, disse o Tenente Cardim.

Para o Secretário de Transporte e Trânsito do Município, Argemiro Ferreira, a visita é um avanço e mais um passo dado no sentido de proporcionar voos seguros e, consequentemente, um aeroporto que garanta um número maior de destinos para aqueles que utilizam os serviços. “Aos poucos estamos avançando e melhorando a parte estrutural do Marinho Franco. Queremos um número maior de voos com destinos diversos e que atenda à população. Essa é mais uma etapa vencida”.

Leia também:  Prefeitura promove projeto Filhos do Campo em incentivo às profissões do agronegócio

A equipe da FAB é composta por quatro militares, o Tenente Cardim; o Suboficial R1 Vanildo de Carvalho, topógrafo; a 3º sargento Luana Pereira Castro, cartógrafa e a 2º sargento Raquel Gonçalves Ribeiro, controladora de tráfego aéreo. Eles chegaram à cidade na terça-feira e encerram os trabalhos na manhã desta sexta-feira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.