O deputado Gilmar Fabris (PSD) confirmou a sua permanência no Partido Social Democrático. A decisão foi anunciada na tarde desta quarta-feira (21), durante reunião com o vice-governador e presidente Regional do PSD, Carlos Fávaro, no Palácio Paiaguás. O parlamentar também continua líder da sigla na Assembleia Legislativa. A decisão põe fim às especulações de que o parlamentar migraria para outra sigla.

“A visita foi muito importante porque encontrei uma pessoa jovem, sem vaidade pessoal. Conversamos bastante e senti perfeitamente que na verdade o presidente Fávaro quer fazer do PSD um grande partido. Também falamos sobre a questão dos diretórios para que sejam formados por membros que tenham lealdade. Precisamos reformular o partido e estou feliz porque antes havia aquela indecisão sobre o meu futuro político e a partir de agora esse assunto está encerrado”, explicou Fabris.

Leia também:  Atualização de normativa organiza frota de veículos do município

O parlamentar disse que vai contribuir votando com o governo as matérias que propiciem o desenvolvimento de Mato Grosso. Também quer seguir a ideologia partidária, inclusive, com rodízio na Assembleia Legislativa para que suplentes assumam a vaga temporariamente conforme decisão colegiada.

Fávaro explicou que a reunião com Fabris foi importante para esclarecimentos sobre o processo de formação partidária. “Existia uma tendência do deputado migrar para outro partido pelo descontentamento interno que existia. Mas, a partir da nossa conversa, todas as questões ficaram muito bem alinhadas. Estou muito feliz, gosto do Gilmar porque é autêntico. Ele permanece no partido e continua o líder do PSD na Assembleia Legislativa, dando sustentação à base aliada do governador Pedro Taques”, explicou Fávaro.

Leia também:  Famílias pré-locadas do Neuma de Moraes vão se reunir com secretário de Habitação

Conforme o presidente, o próximo passo é fortalecer os diretórios municipais, com foco a eleger o maior número de prefeitos e vereadores. E, consequentemente, manter a unidade para que em 2016 o partido esteja forte e se prepare para as eleições majoritárias de 2018.

Com experiência na iniciativa privada e associativismo, Fávaro garantiu que os membros peessedistas terão liberdade para trabalhar a sustentabilidade conforme suas bases. “Fui doutrinado a compartilhar decisões. E, é essa forma que quero implementar no PSD. O partido precisa de alguém que lidere, que decida, mas antes de tudo, precisa de pessoas que compartilhem as decisões. Aí sim o partido será forte cada vez mais”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.