Jon Jones - Foto: Reprodução
Jon Jones – Foto: Reprodução

Depois de algum tempo de silêncio, o UFC enfim se pronunciou oficialmente sobre o retorno de Jon Jones. O ex-campeão dos meio-pesados está novamente no plantel da organização, encerrando um período afastado por conta de um acidente de automóvel que se envolveu nos EUA. Ele segue em liberdade condicional, com 18 meses sendo monitorado pela Justiça.

Apesar da confirmação de que ele volta a lutar pelo Ultimate, Dana White e companhia afirmam no comunicado que ainda não há uma data para que o lutador volte ao octógono, tampouco rival. Lorenzo Fertitta, um dos donos da empresa, afirma que a segunda (ou terceira) chance a Jones não é um direito, mas um privilégio.

Leia também:  Flamengo vence Junior Barranquilla e garante a classificação para a final da Sul-Americana

Mesmo com a punição que cumpriu enquanto esteve resolvendo seus problemas com a justiça, que incluiu perdeu seu cinturão de campeão dos meio-pesados do UFC, é difícil de imaginar que Jon Jones não volte com uma disputa imediata de cinturão. Na verdade, o atual dono do título, Daniel Cormier, já avisou que era isso que queria. Mas essa luta só deve acontecer em 2016, já que o campeão avisou que quer um tempo de descanso.

“Sou grato por ser capaz de fazer o que amo mais uma vez e estou ansioso para provar que sou um campeão dentro e fora do octógono”, diz Jones, no comunicado.

Confira a nota do UFC:

Leia também:  Campeonato amador visa arrecadar alimentos em prol a campanha de Natal em Rondonópolis

“Seguindo a revisão do acordo judicial entre Jon Jones, oficiais de Albuquerque, Novo México, e a decisão do juiz, o UFC anuncia que Jones está de volta ao plantel de lutadores. Jones está apto a voltar imediatamente à competição. O UFC espera que o lutador atenda todos os termos de seu acordo judicial, incluindo o serviço comunitário obrigatório, uma condição para a sua reintegração.

O UFC está discutindo com Jon Jones uma possível data para que o atleta volte ao octógono.

‘Deixamos claro para Jon Jones que essa nova oportunidade de voltar a lutar no UFC é um privilégio, não um direito, e há grande expectativa que ele siga no caminho certo’, disse Lorenzo Fertitta, CEO e presidente do UFC. ‘Estamos felizes de ler e ver relatos de que ele abraçou seu acordo judicial e está usando essa experiência para crescer e se desenvolver como pessoa’.

Leia também:  1ª paraolimpíada 2017 acontece neste sábado

‘Sou grato por ser capaz de fazer o que amo mais uma vez e estou ansioso para provar que sou um campeão dentro e fora do octógono’, disse Jones.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.