Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Cansado, com febre, e sob intensa pressão. Foi assim que Emerson Fittipaldi acordou há exatos 45 anos, em 4 de outubro de 1970, data que acabou ficando marcada pela primeira das 101 vitórias brasileiras na Fórmula 1.

Estreante no meio daquela temporada, Emerson tinha como melhor posição até aquele momento um quarto lugar na Alemanha, logo em sua segunda prova na categoria. Não que ele tivesse feito muitas corridas depois daquilo: o GP dos Estados Unidos, disputado em Watkins Glen, seria sua quarta largada na F-1.

“Para mim, com apenas 23 anos e estando longe da minha família, o outono de 1970 foi difícil”, relembrou o piloto em sua biografia. Afinal, o astro principal da Lotus e líder do campeonato, Jochen Rindt, havia morrido no GP da Itália e Fittipaldi se viu, apenas dois meses após sua estreia, como o piloto principal da maior equipe da Fórmula 1 da época.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

Após o acidente que tirou a vida do austríaco – que viria a ser o único campeão póstumo da história da categoria – no GP da Itália, em 6 de setembro, a Lotus não participou do GP do Canadá, indo diretamente para Watkins Glen. “Quando cheguei lá, sabia que não tinha experiência suficiente para ser o líder da equipe e senti uma grande pressão. Mesmo assim, me classifiquei em terceiro, o que deu uma injeção de ânimo no time. E, logo na minha frente, estava um dos meus herois de infância, Jackie Stewart.”

As horas antes da corrida foram tensas para Fittipaldi, que começou a sentir-se gripado e com febre. “Chamei um médico, que me deu alguns remédios, mas mesmo assim não dormi nada naquela noite. Na manhã seguinte, estava me sentindo mal e cansado.”

Leia também:  Luve perde e está de volta à Zona da Degola

Para piorar, estava chovendo no circuito e Emerson jamais tinha andado com aquele carro com pista molhada. “Tudo parecia que tudo estava contra mim: sentia-me nervoso e doente. Mas, assim que a corrida começou, as coisas começaram a dar certo e senti que seria, no mínimo, terceiro”.

Durante a prova, a pista foi secando e a Tyrrell de Stewart teve um vazamento de óleo, que tirou o escocês da briga. A oito voltas do fim, o então líder Pedro Rodriguez ficou sem combustível e teve de ir aos boxes, deixando o caminho livre para a primeira vitória brasileira na Fórmula 1. “Ainda tenho a lembrança muito clara de abrir a última curva e ver Colin [Chapman, dono da Lotus] correndo para a pista e jogando seu chapéu no ar. Quando era criança, tinha muitas fotos dele fazendo isso nas vitórias de Graham Hill e Jim Clark. E agora era para mim.”

Leia também:  Colorado vence fora de casa e ganha moral na Copinha

O GP dos Estados Unidos marcou a primeira das 14 vitórias de Fittipaldi na Fórmula 1. Duas temporadas após a estreia, aos 25 anos, o brasileiro se tornaria o campeão mais jovem da categoria, marca que demorou 33 anos para ser superada.

Além das 14 vitórias de Emerson, o Brasil soma 41 triunfos com Ayrton Senna, 23 com Nelson Piquet, 11 com Rubens Barrichello e Felipe Massa e uma com Jose Carlos Pace.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.