Por Fábio Capilé

Certo dia um aluno, nos corredores da universidade, me perguntou: “Na sua concepção, o que é ser um professor? Vale a pena ser professor? Embora tais perguntas inclinem para uma resposta um tanto quanto lógica e objetiva, no sentido de se ensinar e aprender, silenciei por alguns segundos na busca do verdadeiro sentido da profissão e do verdadeiro sentimento acerca da docência.

Ser professor é vivenciar a arte de ensinar com a pré-disposição em aprender e se prontificar a falar movido pela paciência de ouvir. É poder plantar sem escolher terra fértil. É adubar as idéias. É fazer brotar o conhecimento independentemente da qualidade da semente. É ser espelho dos seus próprios ensinamentos, pois nas palavras de Cora Coralina “Feliz é aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.

Leia também:  Contrabando de cigarros paraguaios aumenta e provoca prejuízos à sociedade

É defender os alunos contra a sua própria influência e ver, na dificuldade de aprender, uma nova motivação para ensinar. É  se conscientizar que a primeira fase do saber consiste  em amar o que se faz  e para quem se faz. É aprender o silêncio com os faladores, a tolerância com os impacientes, a bondade com os maldosos e a humildade com os soberbos. É poder olhar para um simples giz e identificar a necessidade de construção não apenas de profissionais, mas também de pessoas aptas a levar consigo o conteúdo curricular e, especialmente, exemplos de vida, pois, nas palavras de Albert Ainstein, “Educação é aquilo que fica depois que você esquece o que a escola te ensinou”.

Leia também:  Rim, esse esquecido

Já quanto a indagação de valer a pena ser professor, é importante dizer que a docência não me impõe o dever de construir. Ela me constrói, pois edifica na minha vida as razões para querer ser cada dia uma pessoa melhor. Vale a pena, pois  mesmo em meio a uma guerra no ensino, onde bombas são lançadas, carreiras são aviltadas e uma política de ensino precisa ser criada,  o professor é o socorrista da qualidade da educação. Vale a pena poder olhar nos olhos dos alunos e ver brilhar em suas íris a satisfação do aprendizado. Ser professor é também ser abraçado no corredor, é ser alvo de amizade e de um profundo amor. É olhar para o céu e agradecer por receber muito mais do que mereço. Em resumo: ser professor é ser feliz e vale a pena construir um mundo melhor para todos nós!

Leia também:  Não se aposente da vida

 

*Fábio Capilé é advogado e professor universitário

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.