Diogo de Souza Schemberg, vulgo ‘Diguim’ foi preso nesta terça-feira (27) pela Polícia Judiciária Civil (PJC), no bairro Comunidade Vitória, em Sinop (MT). De acordo com as investigações da PJC, o suspeito está envolvido com pelo menos seis homicídios e vários roubos na cidade. A prisão de ‘Diguim’ ocorreu durante uma ação integrada da Delegacia Regional, Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) e do Departamento de Homicídios de Sinop, o suspeito estava com dois mandados de prisão em aberto pelos crimes de roubo e homicídio.

Conforme a assessoria da Polícia Civil, um dos crimes aconteceu no dia 17 de novembro de 2014, quando o empresário Ivaldo Domingos Balestrelli, 50, executado a tiros.

Leia também:  Carro capota depois de ser atingido por veículo em cruzamento no centro de Rondonópolis

Ele também é apontado como autor do homicídio de Marcio Antonio Pereira, 27, ocorrido em julho deste ano. Na ocasião, um menor de 17 anos também foi atingido por um disparo de arma de fogo.

Segundo o delegado Carlos Eduardo Muniz, a Polícia Judiciária Civil elucidou quatro homicídios, em que ele foi apontado como autor, além de ser suspeito de outros crimes em investigação.

A prisão

Com os indícios de autoria, o acusado teve o mandado de prisão representado pela Polícia e deferido pela Justiça. Com as ordens judiciais, os policiais civis realizaram diligências e efetuaram a prisão de Diogo em uma residência no bairro Comunidade Vitória. No momento da chegada das equipes, o suspeito subiu no forro da casa para se esconder, mas acabou sendo surpreendido pela rápida ação dos policiais.

Leia também:  Pai encontra corpo de filho e amigo carbonizados na fronteira com a Bolívia

Em buscas na casa, foram apreendidos cerca de 60 gramas de maconha, diversos pedaços de plásticos utilizados para embalar a droga, além de uma motocicleta Honda Titan vermelha usada nas ações criminosas. O acusado foi conduzido a Delegacia de Sinop, onde após ser interrogado, teve o mandado de prisão cumprido.

“Diogo é considerado de alta periculosidade e muito esperto, sendo necessário a integração das outras unidades policiais para fazer o cerco policial”, destacou Carlos Eduardo Muniz.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.