Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Uma das leis mais cruéis é a da gravidade. É ela que garante que, depois de certa idade, a pele do rosto e do corpo seja puxada para baixo. Mas vamos combinar que a culpa não é só da lei natural. Se a pele estivesse firme, como a de um bebê, não iria sucumbir à ação da gravidade. Só que, depois dos 30 anos, ela começa a perder elasticidade e, por volta dos 50 anos, esse processo se acelera ainda mais, principalmente devido à menor produção dos hormônios que garantem a reposição celular. “Como se reduz a produção de colágeno, há um afinamento da pele e, consequentemente, um aumento da flacidez”, detalha a dermatologista Juliana Jordão, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Leia também:  Chocolate turbina seu cérebro e sua memória, diz estudo

Rosto e corpo na mira

Para desacelerar o processo – que atinge tanto o rosto quanto o corpo – uma boa dieta é fundamental. Tem de ser rica em proteínas e em vitaminas que fazem parte do processo de produção do colágeno, proteína que dá sustentação à pele. Beber bastante água é fundamental. Afinal, um dos principais papéis dos cremes é reter a água na pele, mas eles só podem agir se houver umidade suficiente. Outra função dos cremes antiflacidez é estimular a produção de colágeno. “Para as mulheres que apresentam uma flacidez mais acentuada ou que querem um resultado mais rápido, indico sessões de radiofrequência ou ultrassom microfocado”, fala o dermatologista Alberto Pinto Cordeiro, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Leia também:  O que a dieta tem a ver com a inflamação?

É hora da cirurgia?

Em algumas situações, quando a flacidez é acentuada, o profissional que pode resolver a situação é o cirurgião plástico. “Como trata-se de uma cirurgia estética, a demanda parte do paciente. É ele quem fala o que está incomodando e deve ser mudado”, diz o cirurgião Marcelo Moreira, do Hospital Federal dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro. “E nem sempre o que ele pede é o melhor. Às vezes recebo pacientes que vêm procurar uma cirurgia plástica, mas indico procedimentos menos invasivos”, garante o médico. Antes de encarar uma cirurgia, há muito a ser feito, como exercícios capazes de enrijeceros músculos, alimentos construtores de células, cremes e massagens.

Leia também:  9 perguntas que as mulheres devem fazer ao ginecologista
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.