Por José Silveira Lage

José Silveira Lage
José Silveira Lage

Uma vez ou outra devido a um esforço ou atividade física, todos nós já sentimos, o coração bater mais rápido, mas se isso acontece com uma certa freqüência e sem motivo aparente pode significar que há algo errado e convém procurar um médico.

O aceleramento do coração pode ser uma doença denominada Taquicardia que é uma das formas de arritmia cardíaca. Nesse caso, o coração pulsa entre 150 e 200 batidas por minuto colocando o individuo em risco de vida, quando o normal é de 60 a 100 batimentos por minuto.

Muitas são as causas da taquicardia que podem ser desde problemas congênitos (nascem com alguma deficiência no coração), doença de chagas, miocardite, dilatação do coração. Em alguns casos o tratamento pode ser a base de medicamentos. Mas às vezes é necessário um procedimento invasivo para corrigir o problema denominado Estudo Eletrofisiológico com Ablação que consiste na introdução de um cateter até o coração, onde fará um rastreamento para registrar e analisar sua atividade elétrica. Em muitos casos é possível cauterizar o foco responsável pela arritmia durante o procedimento.

Leia também:  Quando até a indignação é corrompida

Sempre temos que ficar atentos ao ritmo do nosso coração. Qualquer alteração como arritmias estão ligadas a problemas graves, como infarto e derrame cerebral, e podem matar. Por isso a importância de se fazer o check up e de procurar um acompanhamento de um cardiologista pelo menos uma vez por ano.

E ao contrário do que se pensa, hoje há muitos jovens com taquicardia que só descobrem quando estão acometidos por um infarto, ou por um derrame (Acidente Vascular Cerebral – AVC). Doença que pode ser descoberta por exames simples como eletrocardiograma ou holter 24 horas.

Constatado a arritmia é importante queo cliente seja avaliado pelo cardiologista especialista em arritimias ( arritmologista e eletrofisiologista ) para que ele avalie o problema e se necessário, realize o procedimento que é realizado em Cuiabá com muita segurança há pelo menos 10 anos.

Leia também:  Privacidade Digital: Direito ou Necessidade?

Qualquer descompasso do coração deve ser observado e analisado.

*José Silveira Lage é cardiologista arritmologista e eletrofisiologista da Cardioritmo em Cuiabá

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.