Foto: assessoria
Foto: assessoria

O deputado Zé Carlos do Pátio (SD) realizou na última semana uma Audiência Pública em Barra do Garças para tratar sobre a agricultura familiar, que de acordo com o parlamentar é pouco desenvolvida na região, pois possui grande concentração de terra na mão de poucos. Participou do evento o prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias, e também representantes do Movimento da Luta pela Terra (MLT) que apresentaram os principais problemas do município.

De acordo com os assentados do acampamento Canaã, liderados pelo MLT, há mais de um ano eles buscam pela distribuição de terra na região, contudo, nos últimos anos houve pouco apoio do Incra.

Leia também:  Audiência Pública discute regularização fundiária em Rondonópolis nesta quinta

O prefeito Roberto Farias lembrou também que a prefeitura tenta desenvolver projetos na área, contudo, com pouco sucesso devido à falta de apoio tanto do Governo Estadual, como Federal.

E justamente a participação do Incra foi cobrada no evento, pois não teve a presença no novo superintendente Giuseppe Serra, que de acordo com a assessoria estava realizando visitas técnicas na Região Oeste do Estado.

Para o deputado Zé Carlos do Pátio (SD), a ausência do ex-superintendente Salvador Soltério, e a falta de empenho do Incra em realizar os trabalhos em Mato Grosso resultaram em sua saída, por isso, colocou como resultado da pauta da reunião marcar uma agenda para que o Incra faça vistorias na região. Além disso, o deputado fez o compromisso ajudar o município de Água Boa nas demandas que forem apresentadas. Outra pauta que terá encaminhamento, foi com relação a investigação de policiais militares que estão usando da farda para reprimir assentados que andam identificados com a bandeira do movimento.

Leia também:  Pátio reconhece problema, mas nega fechamento da Coder

“Está foi uma audiência publica que teve uma representação forte dos trabalhadores, que buscam políticas públicas para reforma agrária. E Barra do Garças tem um resistência a isso, e é necessário ter uma redemocratização. Senti que vamos precisar trazer o Incra para analisar as áreas e fazer vistorias para assentamentos rurais. E só vejo que um município tem distribuição de renda, só quando distribui terra”, explicou Pátio.

Para o coordenador nacional do MLT, João Batista da Silva, a reunião foi muito positiva para os trabalhadores, pois mostrou a força do movimento na região e assim, poderá trazer mais projetos para os assentados.

“Em Barra do Garça tem muita terra, e é uma área fértil, contudo está nas mãos de grandes fazendeiros. E muitas pessoas que querem trabalhar, não tem um pedaço de terra. Essa preocupação fez com que solicitássemos essa audiência pública na região”, disse João Batista.

Leia também:  Cinco militares viram réus após denúncia ao TJ por “grampos”
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.