Vânia Cristina Neves
Vânia Cristina Neves

No dia da gentileza nada melhor do que lembrar que ser agradável com o próximo pode tornar a vida um pouco melhor.

Você já parou para pensar que um bom dia pode fazer a diferença na vida de quem recebe? Pois é, mas parece que até esse simples costume está esquecido. É importante lembrar que a gentileza anda de mãos dadas com a educação, e o fato de perguntarmos para alguém como “ele/ela está”, mostra que existe certa preocupação com o bem estar do próximo.

Mas por que estamos tão distantes de algo tão simples?

Para os especialistas em comportamento, a perda da gentileza diária pode estar relacionada com a correria intensa do dia a dia. A psicóloga Cristiane Bataline explica que com o passar dos anos algumas situações passaram a ser consideradas “caretas”, cumprimentar os pais de manhã no momento em que acorda, se despedir na hora de dormir, pedir a bênção acabaram caindo do convívio diário. “Durante o dia a dia, na correria que todos vivemos a gentileza acabou perdendo espaço para que aos poucos coisas boas da vida aconteçam”, destaca Cristiane.

Leia também:  Gordura pode voltar após uma lipo? Mito ou verdade?

Tem gente que sente falta dos bons costumes, e acaba cobrando atenção, como é o caso do senhor João Batista Figueiredo, que não se contenta apenas com o bom dia dos netos, ele conta que quando chegam a sua casa ele cobra mesmo o pedido de bênção. “Os bons costumes fazem diferença até na educação da pessoa, mas hoje as coisas estão muito diferentes”, lamenta João Batista.

Mesmo com as dificuldades em exercitarmos os bons costumes, não podemos desanimar, as chances dos bons hábitos retornarem são possíveis e podem ser praticados a partir de exercícios. “Se a família sente que está faltando algo que precisa ser mudado, ela precisa se ligar no que está incomodando, e que postura os familiares ou mesmo a pessoa que está analisando a situação deve tomar para ajudar na mudança, não podemos esperar que o outro comece a mudança, uma dica é começar a tratar as pessoas de forma diferente, comece a sorrir mais, comece a ser mais tranqüilo com as pessoas, outra dica que funciona é tentar ficar menos ansioso e menos agressivo no dia a dia, aquilo que você dá provavelmente você vai receber”, reforça a psicóloga.

Leia também:  As crianças e a Mãe de Jesus

A psicóloga lembra que a mudança de atitude talvez não receba respostas de imediato, “com o passar dos dias a partir da mudança de comportamento as pessoas começam também a mudar as ações com relação a você, mas a mudança é progressiva e não imediata”, ressalta Cristiane.

Um detalhe importante, e que muitas pessoas não sabem é que a gentileza pode abrir portas, por exemplo, em uma entrevista de emprego se o candidato chega de forma agressiva é quase certo que a primeira impressão não será positiva, mas se no momento da apresentação a pessoa chegar de maneira leve e gentil, as chances de interesse do entrevistador serão maiores.

De acordo com Cristiane Bataline, os exercícios para fortalecer a gentileza são bem simples, “as pessoas podem utilizar os diversos meios de comunicação para estreitar os laços afetivos, uma mensagem via sms ou por whatsapp, e talvez até um email, são atitudes que além de fazer a pessoa feliz, vai mostrar que tem alguém que se importa com ela”, conclui Cristiane.

Leia também:  Administrar é chegar antes

Então vamos começar o mais rápido possível à exercitar a gentileza, afinal de contas o ditado popular mais certo é “gentileza gera gentileza”.

 

*Vânia Cristina Neves – Jornalista

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.