Abraço dos alunos na UFER de Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Dezenas de pessoas estiveram na UFMT para o abraço simbólico – . Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

Docentes, acadêmicos, técnicos da Universidade Federal de Mato Grosso [Campus Rondonópolis], alunos e professores de escolas estaduais e particulares, participaram de um abraço simbólico na manhã desta quarta-feira (25) no estacionamento da UFMT, campus de Rondonópolis. O ‘Abração pela UFCer’ foi realizado pela emancipação do campus da UFMT após o Ministério de Educação dar o parecer favorável a criação da Universidade Federal do Cerrado.

Por volta das 8h, o campus recebeu os alunos de diversas escolas de Rondonópolis. No prédio central/bloco A, teve a mostra dos cursos do campus, com as principais atividades desenvolvidas em cada um deles, além de painéis dos projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos.

Javert Melo Vieira. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Reitor Javert Melo Vieira. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

De acordo com o reitor da UFMT em Rondonópolis, Javert Melo Vieira, o ato “Abração pela UFCer’ representa um apoio da sociedade a reivindicação junto ao MEC, que é a criação de uma universidade. “A partir do momento que criamos uma universidade na nossa região Sul acreditamos que é mais uma para MT e a consequência será a abertura de novos cursos e novas possibilidades para estes alunos que aqui estão, ” disse o gestor.

Leia também:  Imagem de casal pendurado na ponte do Cais chama a atenção de rondonopolitanos

Para o vice-prefeito de Rondonópolis, Rogério Salles, a criação da UFCer é soma ao desenvolvimento do município.

Rogério Sales na UF CER. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Vice-prefeito Rogério Salles na UF CER. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

“É um passo a mais para a emancipação do Campus, entendo que importante para o desenvolvimento para Rondonópolis quase tão grande quanto a implantação da rodovia em Roo que vai gerar impacto grande gerando mão de obra qualificada, gerando novas empresas, muda a qualidade do desenvolvimento econômico de Rondonópolis, ” disse Salles.

De acordo com o professor e membro do comitê de emancipação, Silvio Negri, esta é uma luta de vários anos e que vai possibilitar o crescimento tão social quanto economicamente para Rondonópolis.

“Traz autonomia financeira e administrativa ao nosso campus, o que possibilita melhorar a nossa estrutura e aumentar o número de graduações do campus,” disse Negri.

Leia também:  Casa do Adolescente passa por dificuldades e faz campanha em busca de doações

Ainda segundo ele, a emancipação agora depende da Presidência da República, sendo neste momento, importante o apoio político dos parlamentares.

“Hoje não falta nada na parte técnica, nosso projeto já foi aprovado, inclusive o ministro já deu sinal verde para ser encaminhado para a Presidência da República, para que a Presidência construa/confeccione o projeto para ser encaminhado ao Congresso Nacional. Hoje a questão técnica está vencida, é preciso do apoio político de nossos parlamentares, ” finalizou Silvio.

Apresentação cultural na Ufcer. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Apresentação cultural realizada durante o evento. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

Atualmente a instituição conta com cerca de cinco mil alunos, 312 professores, 100 técnicos administrativos, 22 cursos de graduações, dois cursos de mestrado e um de doutorado.

Abraco na Ufcer por alunos em Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Abraco na Ufcer ocorrido no estacionamento da UFMT. Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.