Antonio Gabriel (azul), acompanhado dos advogados já na delegacia
Antônio Gabriel (azul), acompanhado dos advogados já na delegacia

Acompanhado de dois advogados, Antônio Gabriel de Paula Pereira, 31 anos, acusado de matar o cabeleireiro Maurício Medeiros de Souza, 30 anos, se apresentou na 1ª Delegacia de Polícia, na tarde desta quinta-feira (5), em Rondonópolis (MT). O depoimento de Gabriel durou mais de 2h. Ele confessou o crime e foi ouvido pela delegada da 1ª Delegacia de Polícia Civil do Centro de Divisão de Crimes Contra Pessoa (DCCP), Karla Cristina Peixoto Ferraz.

O crime aconteceu na última sexta-feira (30), em frente a uma faculdade de Rondonópolis. Desde o dia do ocorrido que Gabriel estava sendo considerado como um fugitivo.

De acordo com a delegada, Gabriel alegou que tudo começou por causa de um desentendimento no trânsito. Durante o depoimento, ele relata que não sabia que era Mauricio que estava no carro, mas como já vinha sofrendo ameaças da vítima há algum tempo, assustado e temendo pela sua vida atirou contra Mauricio.

Leia também:  Vítima reage a assalto em comércio e homem é preso com a ajuda de populares

A delegada ainda informou que já tinha dias que Gabriel estava andando armado, e que durante o depoimento ele não apresentou nenhuma prova sobre as ameças que ele alega ter recebido de Maurício.

Gabriel já possui duas passagens pela polícia. Ele cumpriu pena por tráfico de drogas no estado de Mato Grosso do Sul (MS) e possui processo de ameaças por ‘Maria da Penha’ registrado por uma ex-esposa.

A delegada também informou que a jovem que era namorada de Maurício prestou depoimento e relatou que o cabeleireiro recebia ameças de Gabriel por ele não aceitar o fim do namoro. Ela namorou com Gabriel durante um período, e após passar por um relacionamento conturbado, com ameaças e agressões, resolveu por um fim no namoro. Após o fato, a jovem começou a se relacionar com Maurício, mas Gabriel não aceitava a situação.

Leia também:  Falha elétrica é a possível causa do incêndio no frigorífico em Rondonópolis

Como Gabriel se apresentou após o período de flagrante, ele foi liberado, como prevê o código de processo penal.  As investigações ainda vão ser concluídas e nos próximos 30 dias o inquérito será enviado a Justiça.

Gabriel não quis falar com a imprensa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.