Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Portadores de leucemia que precisarem de auto transplante de medula óssea já poderão ter o tratamento a disposição em Cuiabá no Hospital Santa Rosa em 2016. A unidade de saúde está em fase de implantação deste tipo de procedimento denominado autólogo em que a medula que será transplantada é do próprio paciente. Este será o primeiro passo na determinação do Hospital Santa Rosa de ampliar a sua complexidade com transplante de órgãos.

No Transplante Autólogo de Medula Óssea(TMO) é feita a substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula. A Medula óssea é um tecido líquido que ocupa o interior dos ossos. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas.

Leia também:  Exportação de carne bovina aumenta e MT atinge novo recorde

As hemácias transportam o oxigênio dos pulmões para as células de todo o nosso organismo e o gás carbônico é levado destas para os pulmões, a fim de ser expirado. Os leucócitos são os agentes de defesa do nosso organismo, contra infecções. As plaquetas compõem o sistema de coagulação do sangue.

A implantação do sistema de auto transplante no Santa Rosa vai disponibilizar uma unidade especializada com 3 leitos para pacientes que tiverem passado pelo processo e requerem cuidados especiais, que geralmente podem se prolongar por até 90 dias. Neste período, a imunidade fica bastante prejudicada e o paciente necessita de um ambiente especial para evitar infecções .

“Em muitos casos o transplante é um sucesso e o problema vem no pós-procedimento. Por isso estes dois leitos criados somente para estes pacientes é o que pode definir a sobrevivência do paciente”, explica o hematologista e oncologista André Crepaldi do Santa Rosa Onco.

Leia também:  Pontes e Lacerda | Construção Civil é o setor que mais gera empregos em junho

Segundo ele, além do transplante de medula, a unidade hospitalar ainda oferece tratamento para todos os tipos de câncer utilizando os protocolos mundiais de quimioterapia.

A radioterapia do Hospital oferecerá também braquiterapia que é a radioterapia localizada com cápsulas no local do tumor, em caso do de próstata, o único tratamento em Mato Grosso.

“Hoje contamos com o equipamento mais moderno que há para radioterapia, integração entre os setores de nutrição e fisioterapia e ainda consultoria com os maiores especialista do Hospital Albert Eisntein de São Paulo por teleconferência em caso de necessidade de uma segunda opinião”, comenta Crepaldi.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.