Foto Reprodução
Foto Reprodução

Um rato foi domesticado por presos para fazer a entrega de drogas e outros objetos ilícitos dentro do Presídio Barra da Grota, em Araguaína, norte do Tocantins. Segundo o diretor do presídio, Gean Carlos Gomes, o animal fazia a “ponte” entre um pavilhão e outro. Um vídeo divulgado por agentes mostra que o animal aceita até cafuné na cabeça. O bicho foi encontrado durante uma operação da Polícia Civil

Eles amarraram uma linha de crochê no rabo do rato e usavam ele para levar [drogas e outros materiais] de um pavilhão ao outro. Quando o animal chegava no destino, o preso pegava o rato e puxava o cordão com os objetos”, explicou o diretor.

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Segundo ele, o animal servia para possibilitar a comercialização de drogas. Durante a operação, realizada no pavilhão A do presídio, também foram apreendidas 29 trouxas de maconha e 23 de cocaína. O rato foi encontrado quando os agentes passaram por outro pavilhão e se depararam com o animal andando pelo local com a linha amarrada no rabo.
“Os agentes acompanharam a movimentação do bicho e após a captura veio a surpresa de que o rato estava domesticado e aceitava até cafuné.”
Ainda segundo o diretor, o rato foi libertado em um matagal que fica perto da prisão. Além disso, as imagens do pavilhão estão sendo analisadas para saber quem era o dono do animal.

Leia também:  Apenas 1% dos brasileiros com deficiência está no mercado de trabalho
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.