Foto por: Rafaella Zanol -Gcom/MT
Escola Estadual Odorico Leocádio da Rosa – Foto por: Rafaella Zanol -Gcom/MT

O acompanhamento pedagógico melhora e estimula o aprendizado dos estudantes. A prática, no entanto, depende do engajamento da equipe. A aplicabilidade desse formato na gestão escolar rendeu à Escola Estadual Odorico Leocádio Rosa, de Rondonópolis, o título de melhor da região Centro-Oeste, na final do Prêmio Gestão Escolar 2015. A escolha à etapa nacional acontecerá no início de dezembro, em Brasília, entre cinco representantes, uma de ada região do país.

Mas esta é apenas uma das iniciativas que fizeram com que a escola se destacasse. A proposta pedagógica consiste em avaliações no início, meio e fim de ano, para traçar um diagnóstico de desempenho dos estudantes. No entanto, a Escola Odorico Leocádio tem na gestão a parceria com os pais, o comprometimento dos profissionais com a escola, além de oferecer uma diversidade de projetos pedagógicos, entre eles esportivos e musicais, para o público escolar.

Também dispõe de sala multifuncional para atendimento aos alunos portadores de deficiência. Atualmente, frequentam o local um aluno cego, dois autistas, um com lesão cerebral e estudantes que apresentam déficit intelectual (DI), conforme laudo médico e parecer pedagógico.

Os alunos que não conseguem acompanhar o ritmo da turma recebem apoio por meio da sala de recurso. “Para avançar no processo, precisam do apoio não só da escola, mas da família, em casa. Com o acompanhamento desses casos, a escola obtém uma boa avaliação interna e externamente, conforme apontou o último Ideb”, explicou a diretora Eulália Vieira de Melo.

Leia também:  Prefeitura lança obras de esgoto em seis bairros de Rondonópolis

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental a pontuação foi de 7,2, e nos anos finais, atingiu 5.4. Segundo a diretora, a diferença se dá, porque na fase inicial a gestão consegue juntar os professores para o planejamento coletivo. E nos outros, esse trabalho fica mais difícil devido a rotatividade dos professores (dupla jornada de trabalho, lecionam em outras escolas).

Escola Odorico Leocádio da Rosa - Foto: Rafaella Zanol -Gcom/MT
Escola Odorico Leocádio da Rosa – Foto: Rafaella Zanol -Gcom/MT

Projetos eficientes

O fato de optar por projetos menores e em maior variedade também surtiu melhor efeito na proficiência dos estudantes. Os projetos grandes, segundo a diretora, eram dispendiosos, tomavam muito tempo e os resultados eram mais demorados.

“Os professores executam mini projetos em salas de aulas e depois realizamos a culminância dos resultados em eventos como feiras do conhecimento”, pontuou ela, destacando a arte e cultura que abordam pintores locais e trabalhadas várias disciplinas; a gincana de matemática, com dois alunos destaques em 2015, feira de ciências, teatro, música, esportes, entre outros.

Leia também:  Imagem de casal pendurado na ponte do Cais chama a atenção de rondonopolitanos

Um detalhe: a escola não tolera alunos faltosos. “Ligamos para os pais e se for o caso, até buscamos para que não percam conteúdo. Comunicamos o Conselho Tutelar, e tomamos as demais providências”, informou Eulália.

Cardápio diferenciado a cada dia da semana é servido na merenda e o recreio é dirigido, ou seja, alunas que estudam de manhã vão à tarde para monitorar as atividades recreativas, como jogos de xadrez, dama e dominó, quebra-cabeça, pula-corda, amarelinha, entre outras.

“Adoro quando tem salada de frutas. É minha merenda preferida, apesar de a maioria gostar de cachorro quente”, explicou a estudante Mariana Torres Lima, 10 anos. Conforme o cardápio estampado para conhecimento de todos, também foram servidas no mês de novembro, macarrão com carne, bolo com suco natural, sopa de macarrão com carne moída e legumes, risoto de frango com creme de milho, iogurte e bolacha de água e sal, entre outros.

A Escola, que tem aproximadamente 930 alunos, conta com outras parcerias, envolvendo as Secretarias Municipais de Educação e de Saúde, Promotoria da Infância e Juventude e igrejas.  Sobre a representatividade no Prêmio Gestão Escolar 2015, a diretora afirma que “é mérito desse envolvimento, da parceria, pai, escola, comunidade”.

Leia também:  Famílias pré-selecionadas para o residencial Dona Neuma são convocadas

Gestão escolar

O Prêmio Gestão Escolar (PGE) é realizado desde 1998 pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) para estimular a melhoria da gestão das escolas públicas com o objetivo de garantir educação de qualidade. No caso, a discussão remete ao desempenho dos estudantes, as necessidades de infraestrutura e as condições de trabalho dos professores e funcionários, portanto deve envolver gestores, professores, alunos, funcionários, pais e parceiros.

O Prêmio serve como mecanismo para reconhecer boas práticas, incentivar seu aprimoramento e promover ações que possibilitem a troca de experiências entre gestores, multiplicando boas estratégias.

No início de dezembro o país conhecerá a melhor escola pública, que se consagrará com o título de Melhor Gestão Escolar 2015, recebendo R$ 30 mil para a escola e R$ 6 mil para a diretora.

“A escola é nota 10, se tiver mil é 1000. É muito bom poder participar desse processo, tenho duas filhas que estudam aqui. Venho quase todo dia na escola, sou um pai presente, acompanho as ações que são desenvolvidas aqui, um trabalho muito bom”, declarou Gelson Borges Medeiros, sem esconder a torcida.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.