A pouca colaboração da população, os problemas de infraestrutura – como coleta e destinação inadequada de lixo, e a distribuição irregular de água, são fatores que contribuem com a alta incidência de casos de dengue em Mato Grosso. Já foram registrados 24.509 casos de dengue entre 1º de janeiro e 07 de novembro de 2015, segundo o Boletim Epidemiológico da Dengue. Isso representada um aumento de 130,78% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram registrados 10.620 casos.

De acordo com o Boletim Epidemiológico, 77 cidades apresentaram alta incidência de dengue, com números superiores a 300 casos por 100 mil habitantes. No estado, a incidência registrada é de 760 casos por 100 mil habitantes. Sinop continua como o município com maior número de notificações, com 3.374 casos. Cuiabá e Rondonópolis também registraram números expressivos, com 2.664 e 1.910 casos, respectivamente.

Leia também:  Detran capacita servidores de Ciretrans em gestão de Protocolo no estado

Seis óbitos por dengue foram confirmados nos municípios de Cuiabá, Matupá, Sapezal, Sorriso, Juína e Rondonópolis. Cinco mortes ainda seguem em processo de investigação, aguardando o resultado do laboratório.

A médica da equipe técnica epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde, Silbene Lotufo Muller, explica a importância de intensificar ainda mais o alerta, orientando os municípios sobre o trabalho de prevenção e orientação. “São vários os fatores que contribuem para o aumento do número de caso de dengue, porém a melhor forma de se evitar é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti”, ressaltou.

A SES recomenda às Secretarias Municipais de Saúde que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e procedimentos corretos para evitar óbitos. Além disso, são realizadas atividades de vistoria, orientação e prevenção, principalmente nos municípios silenciosos e de maior incidência.

Leia também:  Sefaz realiza segundo leilão online de 2017

Zika Vírus

Oito casos de Zika Vírus já foram confirmados em Mato Grosso, sendo dois em Rondonópolis, um em Tesouro, quatro em Cuiabá e um em Várzea Grande. O Zika vírus (ZIKAV) é um arbovírus do gênero Flavivírus, que apresenta sintomas parecidos com os da dengue e da febre chikungunya, como: dores nas articulações, dor de cabeça, febre, náuseas, diarreia e mal-estar. A fotofobia é uma das características diferenciais da doença, assim como manchas no corpo, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, conjuntivite sem secreção e coceira.

Chikungunya

Até o momento, não foi confirmado caso de transmissão da doença em Mato Grosso. No entanto, já foi registrado um caso “importado” de febre chikungunya no município de Cuiabá. Estão em analise 188 exames, sendo que seis aguardam triagem.

Leia também:  Detran aponta que excesso de velocidade é a infração mais cometida em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.