Foto: Estadão
Foto: Estadão

Imagens feitas por drones do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, divulgadas na noite de domingo, 15, pelo Fantástico, mostram fissuras na barragem de Germano, estrutura que faz parte do complexo de barragens da mineradora Samarco em Mariana (MG). Na quarta-feira, moradores do distrito de Paracatu, na mesma cidade, chegaram a deixar as casas com medo das rachaduras, mas foram informados de que não havia riscos. A Defesa Civil Estadual mantém a informação de que a barragem não apresenta rachaduras.

Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), não há risco iminente com relação a Germano. A barragem de resíduos já está desativada e é a que tem os sedimentos mais secos. A Samarco, porém, admite que a estrutura está fora dos níveis de segurança. “O maciço principal da barragem de Germano está com fator de segurança acima de 1,9. O fator de 1,0 significa que a estrutura está no seu limite de equilíbrio”, diz a empresa, em nota.

Leia também:  Homem é preso por desacato e morto por policial dentro de delegacia de SP

“As barragens estão sendo monitoradas em tempo real por radares e inspeções diárias, realizadas pela equipe técnica da empresa”, ressalta a mineradora, afirmando usar equipamentos de alta precisão para o monitoramento.

Contradições. O DNPM desmentiu informação passada pela Samarco de que duas barragens, Fundão e Santarém, estão rompidas. O órgão federal diz que Santarém teve avarias e há escoamento de água a partir dela, mas que a estrutura não rompeu – como a Samarco vem afirmando na última semana.

Questionada sobre o tema, a empresa disse, em nota, que “o maciço remanescente está íntegro, mesmo estando parcialmente erodido” e que a área é monitorada, sem se pronunciar sobre as informações desencontradas. Já a Defesa Civil mantém a informação de que Santarém se rompeu.

Leia também:  Ônibus com destino a BA perde o controle e capota deixando 10 mortos e 21 feridos

A Fundão, que fica atrás da Santarém, ruiu, o material desceu e atingiu Santarém, que teve parte da estrutura destruída”, diz o coordenador da Defesa Civil, coronel Helberth Figueiró, que disse que todo o material que havia em Santarém escapou no desastre.

Foto: Airbus Defence and Space.
Foto: Airbus Defence and Space.
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.