Foto: Flickr/CC
Foto: Flickr/CC

A França deu o exemplo e aprovou uma lei ótima para combater o desperdício de comida no país.

Já está em vigor um projeto de lei que proíbe os supermercados de destruir os alimentos que não foram vendidos.

E mais: obriga os donos a assinarem contratos formais com instituições de caridade para que possam doar essas sobras de alimentos.

A medida foi aprovada por unanimidade pelo Parlamento francês.

Isso vale para alimentos que ainda não tiveram o prazo de validade vencido e estiverem em condições de serem consumidos.

Multa

A multa para quem descumprir a norma poderá chegar a até 75 mil euros – mais de 337 mil reais – ou 2 anos de prisão.

Leia também:  Surto de sarampo deixa 428 mortos no Congo, diz ONU

Caso os restos não sejam destinados a esses órgãos, as companhias poderão ainda encaminhá-los para zonas rurais, para servirem de ração de gado, ou como composto orgânico para a agricultura.

Desperdício

Em média, um francês joga fora de 20 a 30 quilos de comida por ano, segundo estimativas do Palácio do Eliseu.

Além de não ser sustentável, o problema de desperdício custa até 20 bilhões de euros anualmente para os cofres do país.

A Federação do Comércio e da Distribuição da França, que representa os supermercados, criticou o projeto.

“A lei é incorreta, tanto em seu alvo, quando em seu intuito, já que as grandes lojas representam apenas 5% dos desperdícios de comida”, criticou o diretor do órgão, Jacques Creyssel.

Leia também:  Empresa japonesa presenteia funcionários-não fumantes com 6 dias a mais de férias
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.