Foto: Pedro Ladeira / FolhaPress / reprodução
Deputados assinam no painel para apoiar o movimento de impeachment – Foto: Pedro Ladeira / FolhaPress / reprodução

Desde que surgiu a movimentação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) que o Salão Verde da Câmara Federal anda bem agitado e na tarde desta quarta-feira (4) não podia ser diferente. A movimentação começou quando os deputados de oposição inauguraram um painel com o objetivo de deixá-lo exposto no Salão para que os parlamentares que apoiam a causa pudessem assinar.

A deputada Moema Gramacho (PT-BA) ao passar pelo painel reclamou que a norma da Casa não permite a instalação no local. E foi neste momento em que se iniciou mais uma confusão quando integrantes do grupo pró-impeachment começaram a gritar palavras de ordem contra o PT. O funcionário da liderança do PT, Jonas Tolocka, saiu em defesa da deputada e acabou hostilizado.

Leia também:  Júri nos bairros é finalista de Prêmio Nacional

De acordo com os manifestantes, Jonas, teria tentado arrancar o painel. Houve empurra-empurra e agressões verbais. A Polícia Legislativa também apareceu e tentou conter a confusão. Ao saber do ocorrido, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mandou retirar o painel e o funcionário do PT foi encaminhado a delegacia da Câmara para dar esclarecimentos sobre o ocorrido.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.