Foto: assessoria
Foto: assessoria

“Estamos indignados com essa atitude da Rota do Oeste, um distrito que já tem mais de 20 anos ser completamente ilhado, prejudica e ofende a população e também ofende a nós que trabalhamos para o desenvolvimento da região”, desabafou o deputado estadual Nininho em visita, na manhã deste sábado, ao distrito de Ouro Branco do Sul.

O deputado estadual Ondanir Bortolini (PR), Nininho, juntamente com o prefeito de Itiquira, Humberto Bortolini (PR), solicitaram a ajuda do senador Wellington Fagundes (PR), para que interviesse junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), atendendo à reivindicação da população de Itiquira e do distrito de Ouro Branco do Sul quanto ao fechamento do trevo que era a única via de acesso à BR-163.

Foto: assessoria
Foto: assessoria

Por meio de um pedido do senador, o diretor geral do Dnit, Valter Casimiro Silveira, visitou a região na manhã deste sábado (07.11). Também compunham a comitiva: o superintendente regional do órgão em Mato Grosso, Orlando Fanaia, o diretor de Engenharia, também do Dnit, Luiz Antônio Garcia e ainda o senador Wellington Fagundes, o deputado Nininho, o prefeito de Itiquira, Humberto, além dos nove vereadores também do município.

Leia também:  Servidores da Mata Grande e do estado fazem paralisação por não cumprimento de promessas de Taques

As obras de duplicação da BR-163, realizadas pela Rota do Oeste, empresa do grupo Odebrecht, deixaram o distrito de Ouro Branco completamente isolado, prejudicando o acesso, principalmente, de quem mora na antiga Plantações Michelin (atualmente PAF) e trabalha ou estuda no distrito.

Segundo o prefeito Humberto, existe hoje, na Michelin (como o local ainda é conhecido), um assentamento do Banco da Terra com quase 200 famílias. Todos os dias, 11 ônibus escolares buscam cerca de dois mil estudantes que moram na antiga Michelin para estudarem nas escolas do distrito, sendo uma escola estadual e a outra municipal.

“Eles estão prejudicando muita gente: só em Ouro Branco são 4.500 habitantes; estive em contato com os diretores da empresa o tempo todo e eles me garantiram que o fechamento do trevo não estava no projeto”, disparou Humberto.

Leia também:  CGE constata sobrepreços nos procedimentos judicializados

Além das escolas, o distrito possui também um hospital municipal e duas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), que atendem toda a região, inclusive as vítimas de acidentes que acontecem na própria rodovia.

“Na quinta-feira passada estive em reunião com o diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, em Brasília, e ele me garantiu que irá exigir uma explicação da empresa e possíveis soluções para o problema”, garantiu o prefeito.

O deputado Nininho afirma que este trevo é resultado de um trabalho em parceria do município (quando o deputado era prefeito de Itiquira) com o senador Wellington Fagundes (deputado federal na época). “Somos muito gratos ao senador Wellington que nos ajudou com essa demanda e agora estamos juntos novamente para lutar para que a Rota do Oeste não destrua esta obra que conquistamos há mais de dez anos com muito sacrifício”, lembrou. “A própria Polícia Militar, representada pelo subtenente do destacamento de Ouro Branco, Márcio Martins, nos afirma que não existem registros de acidentes no trevo desde a sua construção; então qual seria o problema para que fosse necessária essa intervenção por parte da Rota do Oeste?” questionou Nininho.

Leia também:  MPE denuncia estudante por homicídio triplamente qualificado e requer manutenção de prisão

Ainda segundo a Prefeitura de Itiquira, durante a visita foi elaborado um documento e assinado pelas autoridades, para que a Rota do Oeste suspenda as obras de duplicação imediatamente até que ANTT e o Dnit encontrem uma solução. Caso a empresa não atenda ao pedido, a população pretende fazer um grande manifesto visando a paralisação da obra.

“Esperamos que a Rota do Oeste tenha consciência, uma vez que sempre fomos parceiros e a obra de duplicação passa dentro do nosso município em 54.2 quilômetros, do Mineirinho até a divisa com o município de Sonora. Em conversas anteriores, tivemos a garantia dos diretores de que isso não aconteceria, mas em menos de 20 dias tudo mudou: os engenheiros da obra e o projeto”, finalizou o prefeito.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.