Magno Pereira
Magno Pereira

Todo trabalhador desenvolve sua atividade laboral com o intuito de auferir renda para sua vida cotidiana, seus projetos, sonhos, melhoria de vida. Apostando também no recolhimento regular previdenciário com o objetivo de uma futura aposentadoria, com tranqüilidade, segurança, para viver a velhice na plenitude e em paz.

Para o Servidor Público ingressante por concurso, em especial os de Rondonópolis, que são regidos pelo Regime Próprio, sendo cuidado por uma entidade de direito público, o IMPRO – Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Rondonópolis, responsável pelo gerenciamento, manutenção, investimento, pagamentos aos assegurados, cuidado de todo capital oriundo dos concursados do Município de Rondonópolis, sendo Prefeitura, Câmara, Institutos e Autarquias, bem como, daqueles recursos advindos da parte patronal.

Trago uma discussão à público para poder instigar junto aos meus colegas servidores de carreira para que possamos cuidar efetivamente e com mais carinho deste importante patrimônio dos servidores, que assegura a vida de muitos companheiros e companheiras já aposentados, e cuidará no futuro de muitos mais outros.

Leia também:  O juiz errou sim, doutor

Penso que talvez devamos bradar sempre que percebemos algo que destoe do bom caminho e da solidez de comando ou do cuidado necessário a curto e em longo prazo da nossa previdência. Participar de todos os processos democráticos, usufruindo o direito de fiscalização que nos é dado pela legislação, seja de informação de números, podendo inclusive fazer uma visitação in loco. Exigindo uma transparência absoluta em todos os processos, contas, investimentos, inclusive do poder decisório discricionário da gestão, sendo sempre claro com fundamento e comprovação, sem aparentes maquiagens.

Podemos também cobrar mais ingressantes ao serviço público municipal via concurso, primeiro para diminuir o custo previdenciário patronal, porque uma vez regidos pelo INSS o percentual e maior do que quando regidos pelo IMPRO, e segundo, é certo de que quanto mais servidores concursados, mais rijeza terá o nosso instituto. Tudo isso porque o IMPRO É NOSSO.

Leia também:  Sua história não é feita de boletos pagos, mas sim de experiências vividas

Nestes últimos anos vem acontecendo muita coisa que tem nos trazido preocupação com o futuro da organização previdenciária, a confiança vem sendo perdida dia após dia, e uma aparente nuvem paira no ar quanto aos rumos vindouros. As decisões tomadas por quem tem o direito de comando talvez nos gerem um desassossego.

O fracasso eleitoral foi muito ruim para os servidores e para o próprio instituto, uma fez que havendo a indicação, ora questionada por alguns, perde a essência preponderante que é o senso democrático para que os servidores escolham entre os seus o comandante da sua previdência, garantindo maior autonomia, principalmente na relação financeira patronal. A falta de qualificados com cursos específicos de RPPS exigidos pela lei pode ter sido determinante para o caminhar para a indicação, espero que tenhamos isso assegurado aos nomeados.

Leia também:  A Tirania da Alegria Digital

Durante o pleito eletivo faltou-nos companheiros mais aguerridos e corajosos para enfrentar a árdua missão, uma vez que há mais colegas com a exigida qualificação. Talvez o certo fosse nomear provisoriamente uma diretoria e fazer um novo chamamento eleitoral, penso que ainda é possível tal caminho. De qualquer sorte rogo para que possamos resgatar os tempos áureos de confiança junto ao comando do instituto, tenho certeza que isso ocorrerá, principalmente se nós servidores pudermos cumprir na essência o cuidado de fiscalização e comprometimento com o nosso patrimônio previdenciário. Tudo isso dentro de um conceito de que o IMPRO É NOSSO, Colegas Servidores!

Magno Pereira
Servidor Público em Rondonópolis.
Auditor de Contas na Câmara

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.