Três pessoas foram presas e outras duas são procuradas pela Polícia Judiciária Civil, acusadas de envolvimento no latrocínio que vitimou o sargento da Polícia Militar, Joilson Antônio Martins, de 45 anos, no dia 20 de outubro na cidade de Diamantino (218 km a Médio-Norte).

O sargento morreu no Pronto Socorro de Cuiabá, após ser baleado na cabeça, quando tentava evitar o roubo da loja Martinello, em Diamantino. O policial estava de folga, nas proximidades do comércio quando percebeu a ação de quatro assaltantes invadiram a loja para roubar aparelhos eletrônicos.

Na quarta-feira (18), acusado de participação no crime, Evandro Eduardo Costa, teve o mandado de prisão temporária cumprido, na cidade de São Gabriel D’Oeste, MS, em uma ação conjunta da Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. O suspeito é namorado de uma funcionária da loja de eletrodomésticos em que o policial foi morto, que também teve a prisão temporária cumprida na sexta-feira, 13 de novembro.

Leia também:  Cães farejam mais de 600 kg de maconha escondidos em carreta na BR-163

Segundo a Polícia, o casal participou do crime passando informações sobre o estabelecimento para facilitar a ação dos assaltantes. O acusado Isaias Fenando da Silva foi preso em flagrante no dia do crime, acusado de auxiliar a fuga dos suspeitos.

Segundo a delegada Vanessa Aguiar, Jonatha Alves da Silva e Alexandre de Souza Martins tiveram o mandado de prisão decretado, sendo identificados como executores do latrocínio e estão sendo procurados pela Polícia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.