Décima fase da operação Ararath, em Mato Grosso Foto: Reprodução/TVCA
10ª fase da Operação Ararath, em Mato Grosso
Foto: Reprodução/TVCA

A Polícia Federal de Mato Grosso deflagrou nesta sexta-feira (4), a 10ª fase da Operação Ararath. Nesta fase, será apurado o desvio de cerca de R$ 313 milhões em recursos públicos do Governo de Mato Grosso. Esta é a 3ª fase da operação realizada em duas semanas.

Segundo a Polícia Federal, o rombo milionário ocorreu através da utilização de sistema financeiro clandestino. Ainda não foi divulgado em qual gestão ocorreu a fraude.

Ao todo, a PF cumpre 47 medidas de busca e apreensão e 18 conduções coercitivas, expedidos pela 5ª Vara Federal de Mato Grosso, a ação ocorre em Cuiabá (MT), Brasília (DF), São Paulo (SP), Curitiba (PR), Caraguatatuba (SP), Luziânia (GO) e Itapema (SC).

Leia também:  Vigilante atira após invasão no pátio da antiga Ciretran e suspeito é preso

O ex-secretário de Fazenda, Éder Moraes, teve o mandando de prisão preventiva expedido por violar 92 vezes, no período de 60 dias, os termos da utilização da tornozeleira eletrônica.

As investigações da PF visam apurar a realização de pagamentos por parte do Governo do Estado, que estão desacordo com as determinações legais para empreiteiras e posteriormente, o desvio desses recursos eram destinados a agentes públicos e empresários por meio da utilização de instituição financeira clandestina.

Segundo a PF, a análise de documentos apreendidos em outras fases da operação apontou a utilização de medidas complexas de engenharia financeira praticadas pelos investigados com o intuito de ocultar a verdadeira destinação dada valores de precatórios pagos pelo Governo de Mato Grosso em ‘nítida violação à ordem cronológica e determinações legais’.

Leia também:  Ladrão deixa vítima amarrada em estrada e foge com o carro

Também foi determinado o sequestro de bens e valores no total de R$ 313.165.011,26, dos investigados, com a finalidade de reparar os prejuízos causados aos cofres públicos.

De acordo com a PF, os investigados nesta fase vão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.