A Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam) lança, a partir desta quinta-feira (3), a Campanha de Valorização do Magistrado. No período em que se comemora do Dia da Justiça (8 de dezembro), os juízes que atuam na Justiça de Mato Grosso vêm a público mostrar o seu trabalho.

Cirurgias, adoções, combate à violência e à corrupção são exemplos das ações resultantes do trabalho do juiz. E tudo isso, que se traduz em números expressivos, não pode ser feito apenas sob a letra fria da lei. São pessoas cuidando de pessoas.

“Nós queremos justamente nessa campanha mostrar o nosso trabalho, a nossa realidade. O juiz não é aquele senhor da toga preta e que só julga, não, é um juiz hoje que participa, que não trabalha só nos autos, no processo, mas tem uma atuação em projetos em que ele vai até a sociedade, trabalha com a sociedade, os números são expressivos e falam por si, passamos uma vida inteira ouvindo que a Justiça é morosa, mas será que a sociedade sabe que só no ano de 2015 foram decididas mais de 2 mil demandas de saúde, por exemplo?”, explicou a representante da Amam, a juíza da Primeira Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Ana Cristina Silva Mendes.

Leia também:  Pró-Limão transforma vida de pequenos produtores rurais em Mato Grosso

Para se ter ideia do trabalho desempenhado pelos magistrados, somente neste ano já foram julgados 191.338 processos na Justiça Comum além de outros 155.956 nos juizados especiais, totalizando 347.294 ações avaliadas por estes profissionais. Com o conceito de que “um processo é uma vida”, o juiz atual procura estar cada vez mais inserido nos anseios da sociedade, já que lhe cabe julgar também com base na experiência, sempre se colocando no papel do outro ser humano que busca resposta para um problema. E essa resposta, só pode ser uma: Justiça.

Nos casos que precisam de decisão mais rápida, o trabalho não falta. Em 2015 foram concedidas 400 liminares na área da saúde e mais de 7,5 mil medidas protetivas.

Leia também:  Detran iniciou primeira turma de Pilotagem Segura a motociclistas na Capital

Além disso, fora de seu gabinete e participando dos vários mutirões que ocorreram ao longo do ano, o trabalho dos juízes mato-grossenses resultou na realização de 25.067 acordos que recuperaram aos cofres públicos mais de R$ 220 milhões.

Projetos como o Ribeirinho e o Justiça na Escola levam o magistrado ao encontro das pessoas, onde podem vivenciar a experiência daqueles que buscam em seu conhecimento a Justiça, mas trata-se, muitas vezes, de um trabalho solitário e perigoso que, sobretudo, exige dedicação.

Com os mesmos problemas que cada pessoa vivencia no dia a dia, como a falta de tempo para a família, lazer e as preocupações cotidianas, o magistrado têm em suas mãos, lembrando sempre o conceito de que “um processo é uma vida”, a responsabilidade de avaliar delicadamente tudo o que se pede em cada causa e cuidar para que a decisão ocorra em tempo hábil para que efetivamente seja feita Justiça.

Leia também:  Estão abertas as inscrições para o curso pré-vestibular gratuito na Secitec

Assim, com o objetivo de que os cidadãos possam conhecer, tirar dúvidas e entender a importância social do trabalho dos juízes para, acima de tudo, poder fazer valer seus direitos, de 3 a 13 de dezembro a Amam, em parceria com os veículos de comunicação, realiza essa Campanha de Valorização do Magistrado que pretende se estender permanentemente por meio da criação desse canal direto com a população.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.