Elonízio (esquerda) - Nemer (centro) - Nikolas (direita)- Foto: Assessoria
Elonízio (esquerda) – Nemer (centro) – Nikolas (direita)- Foto: Assessoria

Confrontos entre Rillei Maldonado, Nemer Reichemback e Elonízio Silva foram os destaques da 3ª etapa do 19º Campeonato Estadual de Jiu-jitsu, organizado pela Federação Mato-grossense de Jiu-jitsu e Lutas Associadas (FMTJJLA), nesse fim de semana, de 11 até 13 de dezembro, no Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, em Cuiabá. Com participação geral de mais de 400 inscritos vindos de seis cidades do interior do estado de Mato Grosso.

Nemer Reichemback Fares, um administrador de empresas de 34 anos, com 1,90 de altura e 116kg, também conhecido como ‘Nemerssauro’, foi o quarto maior pontuador individual com 24 pontos. Ele faturou medalha de ouro nas categorias Pesadíssimo Master e Pesadíssimo Sem Kimono. E ainda ganhou prata no Absoluto Master e no Absoluto Adulto. E, segundo ele, esse foi o retorno após cerca de seis anos sem participar de competições.

Leia também:  Placas com final zero tem até dia 30 para quitar IPVA sem juros e multas

“Pratico jiu-jitsu há 15 anos. Mas tinha parado de disputar campeonatos. Foram seis anos sem competir. Voltei para cumprir com uma promessa feita para a minha namorada. De que ela ainda me veria lutar um estadual. Deu certo. Lutei em quatro categorias e medalhei em todas. E um dos combates mais difíceis foi o primeiro. Contra Nikolas. O primeiro é sempre mais difícil. E como ele me conhecia, conhecia meu jogo, ficou na meia guarda amarrando”, comenta Nemer.

Nemer Reichemback (kimono azul) e Elonízio Silva (kimono branco) - Foto: Assessoria
Nemer Reichemback (kimono azul) e Elonízio Silva (kimono branco) – Foto: Assessoria

Outro destaque foi Elonízio Oliveira Silva, um técnico de informática e professor de jiu-jitsu de 38 anos, apelidado de ‘Nízio Negão’, e que também possui 15 anos de prática de jiu-jitsu. Ele conquistou duas medalhas de prata nas categorias Pesadíssimo Master e Pesadíssimo Sem Kimono. E ainda lançou um desafio para os faixas preta que não lutaram no estadual. Segundo ele, há muitos pretas que nas academias são leões, mas na hora de lutar viram gatinhos.

Leia também:  Produção brasileira de grãos deverá crescer 21,5% em 10 anos, estima ministério

“Tivemos boas lutas nessa terceira etapa. Mas ainda há muitos pretas sem participar. Aqui mesmo na capital conheço quase todos. Alguns são verdadeiros leões nas academias, mas que na hora de competir fogem como gatinhos. Está na hora de darem exemplo para os demais. Vir lutar para mostrar às outras graduações que o importante não é vencer, mas competir. A ideia é interagir e formar cidadãos. Dividir experiências. E estão desafiados para 2016”, provoca Nízio.

E o faixa preta que ficou melhor colocado na classificação individual geral foi Rillei Maldonado, em terceiro lugar com 27 pontos. Ele se consagrou com os ouros do Absoluto Master, Absoluto Adulto e Pesado Adulto. O baixinho foi o único que ganhou do gigante Nemer. Ambos se confrontaram em duas finais que mais pareciam reedições bíblicas de Davi x Golias. Com vitória dupla para Davi. E desta vez só no corpo a corpo, sem precisar das pedras e da funda.

Leia também:  Federação e clubes definem detalhes da Copa FMF

De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Jiu-jitsu e Lutas Associadas (FMTJJLA), Francisco José Fernandes, o ‘Chicão’, esse foi o último evento do calendário esportivo 2015 do jiu-jitsu. E foi realizado com apoio dos Governos do Estado e da Capital. Segundo ele, o cronograma de 2016 será divulgado em janeiro. Mês em que será realizada uma confraternização para anunciar os campeões gerais de 2015, conforme a pontuação do ranking mato-grossense.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.