Reprodução
Reprodução

Centenas de milhares de pessoas foram removidas da região central das Filipinas nesta segunda-feira (14) quando um tufão com ventos de até 150 km/h atingiu a costa, provocando chuva forte que poderia causar inundações, deslizamentos de terra e tempestades, alertaram as autoridades.

Cerca de 40 voos domésticos foram cancelados e 73 balsas e centenas de barcos de pesca foram obrigados a permanecer no porto quando o tufão Melor chegava à aldeia de Batag, na ponta norte da ilha de Samar.

 

A previsão era que a tempestade, conhecida localmente como tufão Nona, avançasse por todas as ilhas próximas até tocar na parte continental no final desta segunda-feira, perto de Sorsogon, cerca de 385 quilômetros a sudeste da capital, Manila, na ilha principal do país, Luzón, que é densamente povoada.

Leia também:  Modelo é pega roubando loja de grife e juiz concede liberdade por ser bonita

Melor estava traçando um caminho semelhante ao Haiyan, um tufão de categoria 5 que atingiu a região central das Filipinas em 2013. Quase 8.000 pessoas morreram ou foram dadas como desaparecidas após a passagem do Haiyan.

Autoridades ordenaram temporariamente o fechamento de escolas e algumas repartições e retiraram cerca de 750 mil pessoas de áreas de risco em três províncias. Cerca de 8.000 pessoas ficaram impedidas de prosseguir viagem depois que a guarda costeira proibiu balsas e barcos de pesca de saírem dos portos na região central das Filipinas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.