O UFC viu cair, um a um, seus grandes nomes nos últimos anos. Apenas um sobrou para contar história e ele provavelmente fará o maior capitulo dela neste sábado, no UFC 194. José Aldo não é apenas o único campeão linear dos pesos pena que o UFC já teve. Ele é o melhor do evento entre todas as categorias e coloca essa posição a prova contra Conor McGregor.

Mas pode parecer etéreo falar que o manauara radicado no Rio de Janeiro é o número 1 no ranking peso por peso do Ultimate. O que isso realmente quer dizer? É isso que vou explicar nas linhas abaixo, vou contar por que José Aldo é o maior lutador da atualidade. Abro com uma declaração do técnico e mentor do brasileiro, Dedé Pederneiras.

“O Aldo é o maior lutador do UFC porque ele é um atleta muito dedicado e tem habilidades naturais bastante difíceis de se encontrar em muitos atletas, ele nasceu pra ser campeão!”

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez

Dominante – Não são apenas 10 anos invicto no MMA, não é apenas o tempo, mas também como ele conseguiu se manter no topo. Desde que ele foi para os grandes eventos dos Estados Unidos (WEC e depois o UFC), José Aldo correu pouquíssimos riscos, ele foi amplamente dominante sobre seus adversários. Quando não conseguiu um nocaute avassalador, ele ficou 25 minutos batendo em seu rival. Isso contra qualquer um. Do estreante do WEC ao ex-campeão dos leves Frankie Edgar.

Completo – Aldo começou a assombrar o MMA com grandes nocautes e chutes baixos que pareciam golpes de taco de beisebol. De cara todo mundo pensava: ah, esse menino veio do muay thai. Nada! Era um faixa-preta de jiu-jítsu. Isso já mostrava o quão completo ele viria a ser. Nos anos seguinte, ele foi ganhando experiência e inteligência de luta.

Leia também:  Atleta de Rondonópolis fica com cinturão do Conselho Mundial de Muaythai

Rodagem – Mesmo tendo apenas 29 anos – jovem para um campeão do UFC há tanto tempo – ele já tem 26 lutas profissionais e são nove defesas consecutivas de cinturão, incluindo o WEC e o UFC. Não há situação pela qual ele ainda não tenha passado. Já levou porrada na cara, já tentaram finalizá-lo, já o pressionaram. E ainda assim, ninguém chegou perto de pará-lo.

Não sobrou ninguém – Além de todos os resultados e os motivos acima, José Aldo é também o último dos moicanos entre os nomes que fizeram o UFC ganhar fama nos últimos anos. Apenas ele continuou vencendo ou sem ter problemas extra-octógono. O campeão dos penas viu caírem Anderson Silva, Georges St-Pierre, Jon Jones e Ronda Rousey.

Os números – 15 vitórias consecutivas entre WEC e UFC (maior sequência entre os penas); 691 golpes significativos (recorde na categoria); 15 vitórias consecutivas é a segunda maior série na firma (atrás apenas das 16 de Anderson Silva); 3.668 dias invicto até a luta contra Conor; recebeu apenas 1,94 golpes significativos por minuto (terceira melhor marca dos penas); 88,7% de defesas de quedas; 70,6% de quedas conseguidas.

Leia também:  Seleção masculina de futsal brasileira disputará amistosos em Mato Grosso

UFC 194, sábado:

Card principal
Pena*: José Aldo x Conor McGregor
Médio*: Chris Weidman x Luke Rockhold
Médio: Ronaldo Jacaré x Yoel Romero
Meio-médio: Demian Maia x Gunnar Nelson
Pena: Max Holloway x Jeremy Stephens

Card preliminar
Galo: Urijah Faber x Frankie Saenz
Palha feminino: Tecia Torres x Jocelyn Jones-Lybarger
Meio-médio: Warlley Alves x Colby Covington
Leve: Léo Santos x Kevin Lee
Leve: Joe Proctor x Magomed Mustafaev
Leve: John Makdessi x Yancy Medeiros
Meio-médio: Court McGee x Márcio Lyoto

*Combates valendo cinturão

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.