Foto: Divulgação / PJC
Foto: Divulgação / PJC

Dez operações foram deflagradas pela Polícia Judiciária Civil (PJC), através da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra Administração Pública (Defaz), que resultaram na prisão de 62 pessoas e concluiu 140 inquéritos, sendo a maioria, inseridos na operação “Karcharias”, que foi lançada em maio pela Segurança Pública.

As ações da Defaz, realizadas entre os meses de janeiro a novembro, culminaram no indiciamento de 157 pessoas investigadas em crimes de fraude em licitações, cometidos por prefeituras; sonegação fiscal; corrupção ativa e passiva; concussão; peculato; falsificação de documentos públicos e privados; inserção de dados falsos no sistema de informações; supressão de documentos públicos, falso testemunho, associação criminosa, entre outros.

Leia também:  Motorista atravessa sinalização durante perseguição policial e joga arma em cima de residência

Pela Defaz tramitam mais de 400 inquéritos, sendo 250 considerados prioritários.  Conforme a delegada Cleibe Aparecida de Paula, houve um esforço de toda a equipe para alcançar a meta da operação Karcharias que era concluir 100 inquéritos “Conseguimos ultrapassar essa meta e chegar a 135 inquéritos concluídos”, afirmou.

Dentro da “Karcharias”, a Delegacia Fazendária deflagrou  sete operações, sendo elas: a operação Protocolo (corrupção ligada a processos no Intermat); Revelatio (fraudes contra as finanças públicas e licitação em concurso público  da prefeitura de Planalto da Serra); Pula Pula (esquema para agilizar transferência de veículos no Detran); Leverger para Todos ( fraudes no pagamento a prestadores de serviços);  Certificado (uso de documento falso e falsificação de documento para exercício ilegal de odontologia); Sodoma (irregularidades na concessão de incentivos fiscais do Prodeic), BB Pag II (desvio de dinheiro da conta única do Estado), e Tredo (fraudes no Sistema de Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) da Sefaz).

Leia também:  Grupo é preso por receptação de rodas esportivas em MT

Todas as investigações tiveram como alvos servidores e ex-servidores públicos, empresas e pessoas que cometeram alguma fraude para obter vantagens e desvio de dinheiro do Estado. As operações contam com apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e parcerias de instituições como a Controladoria Geral do Estado, Ministério Público e o Poder Judiciário.

“Esperamos fazer aquisição de novos profissionais, para que possamos debruçar nas investigações e assim termos resultados maiores nessa delegacia em 2016”, concluiu a delegada Cleibe Aparecida de Paula.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.